EUA liberam reforço de vacina para adolescentes e alguns grupos de crianças

EUA liberam reforço de vacina para adolescentes e alguns grupos de crianças

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 07 de Janeiro de 2022 às 12h15
Twenty20photos/Envato Elements

Os Estados Unidos autorizaram doses de reforço da vacina contra a covid-19 para adolescentes de 12 a 15 anos. Além disso, crianças de 5 a 11 anos podem receber reforço, caso tenham alguma condição ou receba algum medicamento que desencadeia a imunossupressão moderada ou grave.

A orientação para a dose de reforço da vacina contra a covid-19 para crianças e adolescentes já foi aprovada pela Food and Drug Administration (FDA) e pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). Ambas instituições regulam o uso de imunizantes nos EUA.

Dose de reforço para todos adolescentes

EUA autorizam reforço da vacina da covid para todos com mais de 12 anos e para alguns grupos de crianças (Imagem: Reprodução/Prostock-studio/Envato Elements)

De acordo com o CDC, as doses de reforço para adolescentes de 12 a 15 anos devem ser aplicadas após 5 meses da segunda dose da vacina da Pfizer/BioNTech. Inclusive, este prazo passa a valer para os adultos vacinados com esta mesma fórmula em todo o país. Anteriormente, o intervalo recomendado entre as doses era de 6 meses.

No momento, a recomendação do intervalo de reforço para pessoas que receberam a vacina Janssen (Johnson & Johnson) é de 2 meses. Já o tempo de espera da vacina Moderna continua a ser de 6 meses. Só que elas não são aprovadas para menores de 18 anos nos EUA.

E as crianças de 5 a 11 anos?

No caso das crianças de 5 a 11 anos imunocomprometidas de forma moderada ou grave, o CDC orienta que o reforço pode ser aplicado 28 dias após a segunda dose. No total, serão três aplicações da vacina da Pfizer neste público. Por enquanto, o reforço não é considerado para outros grupos de crianças que não se encaixam nessas condições de saúde.

Ômicron, EUA e reforço da vacina

Vale lembrar que as novas decisões sobre o uso das doses de reforço são divulgadas em um momento em que os EUA vivem uma nova onda de casos da covid-19, causada principalmente pela variante Ômicron (B.1.1.529) do coronavírus SARS-CoV-2.

Nesse cenário, as medidas deverão ajudar adultos que retomarão o trabalho após as férias e festas de final de ano. Só que as doses de reforço também devem proteger adolescentes e crianças que retornarão às escolas. Dessa forma, a iniciativa busca reduzir o impacto da covid-19 nos sistemas de saúde de todo o país.

"Com base na avaliação do FDA dos dados atualmente disponíveis, uma dose de reforço das vacinas atualmente autorizadas pode ajudar a fornecer melhor proteção contra as variantes Delta [B.1.671.2] e Ômicron", explicou Peter Marks, diretor do Centro de Avaliação e Pesquisa Biológica do FDA, justificando a decisão de liberar a terceira dose.

Fonte: Reuters e CDC   

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.