Dovato: Anvisa aprova novo remédio contra HIV em um só comprimido

Dovato: Anvisa aprova novo remédio contra HIV em um só comprimido

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 30 de Novembro de 2021 às 13h50
Danilo Alves/Unsplash

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou um novo medicamento para o tratamento de HIV que combina duas diferentes substâncias — os antivirais lamivudina e dolutegravir sódico — em um único comprimido. O remédio foi desenvolvido pela companhia ViiV Healthcare — parte da farmacêutica britânica GSK — e recebe o nome de Dovato.

Segundo a Anvisa, "a aprovação representa um avanço no tratamento das pessoas portadoras do vírus que causa a Aids, já que reúne em uma dose diária dois antirretrovirais que não estavam disponíveis em um só comprimido". Isso porque o formato simplifica o tratamento e a adesão dos pacientes.

Anvisa aprova novo remédio contra o HIV que reúne outros antivirais em uma única pílula (Imagem: Reprodução/Twenty20photos/Envato)

"Dovato reduz a quantidade de antirretrovirais usados pelos pacientes por possuir apenas duas medicações, enquanto ainda mantém a eficácia e a alta barreira à resistência de regimes tradicionais com mais medicamentos", afirmou a GSK, em nota.

Como funciona o Dovato?

Na bula do novo medicamento, é explicado que a fórmula pode reduzir a quantidade de HIV no organismo, mantendo-a em um nível baixo. Em consequência, o medicamento permite uma maior concentração das células CD4 no organismo. Estas são um tipo de glóbulo branco do sangue que trabalham na manutenção do sistema imune saudável e ajudam a combater novas infecções no corpo.

Para ser mais específico, o Dolutegravir impede que o DNA viral se integre ao material genético das células humanas. Por outro lado, a Lamivudina age interferindo na conversão do RNA viral em DNA, o que impede a multiplicação do vírus da Aids no organismo.

O Dovato poderá ser prescrito para o tratamento de infecções causadas pelo vírus da imunodeficiência humana tipo 1 (HIV-1) em adultos e adolescentes acima de 12 anos, desde que pesem pelo menos 40 kg. Outro critério para o uso, segundo a Anvisa, é que o paciente não deve ter histórico de tratamento antirretroviral prévio ou o uso do medicamento poderá ser feito em substituição ao regime antirretroviral atual em pessoas com supressão virológica (infecção controlada).

Entenda o diferencial do novo remédio contra o HIV

"Hoje, muitos tratamentos para o HIV de um único comprimido têm pelo menos 3 medicamentos diferentes combinados. Já o Dovato fornece resultados expressivos com apenas dois medicamentos em um comprimido, demonstrando através de estudos, ser igualmente tão eficaz quanto tratamentos para o HIV com 3 ou 4 medicamentos", explica o médico Rafael Maciel, gerente médico da GSK/ViiV Healthcare.

De forma resumida, Maciel explica que a fórmula do novo medicamento garante a "manutenção da eficácia, com menor utilização de medicamentos e menor potencial de toxicidade".

Vale lembrar que o antiviral dolutegravir foi adicionado ao Sistema Único de Saúde (SUS) em 2016. Atualmente, é usado por mais de 400 mil pacientes brasileiros, o que representa cerca de metade das pessoas em tratamento contra o HIV atendidas pela saúde pública.

Para acessar a bula completa do medicamento, aprovado pela Anvisa, clique aqui.

Fonte: Anvisa  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.