COVID-19 | Vacina da Moderna entra na terceira fase de testes

Por Nathan Vieira | 27 de Julho de 2020 às 17h40
Retha Ferguson/Pexels

Com a pandemia, inúmeras instituições ingressaram uma corrida para a produção de uma vacina contra a doença que tem preocupado toda a população. Tendo isso em mente, no último domingo (26), a farmacêutica americana Moderna anunciou que começaria a terceira fase de testes de sua vacina experimental contra a COVID-19 nesta segunda-feira (27) mesmo.

Durante o comunicado em que esse anúncio foi feito, a Moderna também divulgou uma nova conquista. O que acontece é que a empresa conseguiu dobrar o financiamento governamental do projeto para US$ 955 milhões, o que equivale a R$ 4,7 bilhões.

Na ocasião, a empresa contou que modificou o contrato com a Autoridade de Pesquisa e Desenvolvimento Avançado de Biomedicina (BARDA, na sigla em inglês) para aumentar em US$ 472 milhões (R$ 2,3 bilhões) a quantia inicial destinada ao desenvolvimento da vacina mRNA-1273. "Após conversas com a Administração de Alimentos e Fármacos (FDA) e com a Operação Warp Seed nos últimos meses, a empresa decidiu executar uma terceira fase significativamente maior do teste clínico, fechando uma lacuna no financiamento da BARDA graças a esta modificação no contrato", explicou.

A ideia por trás da vacina da Moderna é usar o material genético do novo coronavírus (RNA) para induzir o organismo a produzir anticorpos para lutar contra o micro-organismo causador da COVID-19. Nas duas primeiras fases de testes da vacina, 45 pessoas de 18 a 55 anos receberam o imunizante. Nisso, os pesquisadores por trás do desenvolvimento dessa candidata à vacina encontraram anticorpos capazes de neutralizar o vírus responsável por essa pandemia. O laboratório Moderna ainda chegou a declarar que já tem doses suficientes para toda a pesquisa e está em condições de produzir 500 milhões delas por ano.

Outros países na corrida pela vacina

Com a pandemia, inúmeras instituições ingressaram uma corrida para a produção de uma vacina contra a COVID-19 (Imagem: Pixabay)

A Universidade de Oxford, no Reino Unido, também faz parte da corrida em busca da vacina contra a COVID-19, e já chegou a anunciar que a vacina é segura e induziu resposta imune no corpo dos voluntários. Enquanto isso, a terceira fase está acontecendo em vários países, inclusive no Brasil.

Enquanto isso, a Rússia também anunciou sucesso na conclusão da fase de ensaios clínicos de sua vacina, realizados no Hospital Militar Central Burdenko, em Moscou, em conjunto com o Centro Nacional de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya. Inclusive, durante um comunicado à imprensa, o Ministério da Defesa russo contou na semana passada que o segundo grupo de voluntários recebeu alta.

Fonte: Agência Efe

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.