COVID-19 | Crianças assintomáticas carregam vírus por semanas, segundo estudos

Por Nathan Vieira | 31 de Agosto de 2020 às 17h00
August de Richelieu / Pexels

A relação entre as crianças e a COVID-19 ainda é alvo de muito estudo e de muitas dúvidas, e acaba sendo um dos fatores mais delicados desta pandemia. Nesta semana, estudos norte-americanos mostraram que jovens apresentam alta carga do coronavírus Sars-Cov-2 e ainda podem transmitir a doença por semanas, mesmo que sejam assintomáticos.

Uma dessas pesquisas foi feita pelo Hospital Nacional Infantil de Washington, apontando que crianças infectadas podem transmitir a doença durante semanas sem sintomas. O estudo foi conduzido pelas especialistas Roberta L. DeBiasi e Meghan Delaney e publicado na revista médica Jama Pediatrics, tendo como base dados de 91 crianças sul-coreanas.

A análise aponta, basicamente, que 22% das crianças não desenvolveram sintomas durante toda a infecção, enquanto 20% começaram assintomáticas e desenvolveram sintomas posteriormente. Por outro lado, 58% tiveram sintomas desde o momento em que testaram positivo para a COVID-19. Vale apontar que um quinto dos pacientes assintomáticos e aproximadamente metade dos pacientes sintomáticos ainda estava transmitindo o vírus três semanas após o início da infecção.

Paralelamente, pesquisadores de Boston colheram amostras de secreção do nariz e da garganta de 49 pacientes com menos de 21 anos de idade e encontraram altas cargas virais nesses pacientes. Para se ter uma ideia, o estudo encontrou muito mais presença do vírus entre eles do que entre adultos sendo tratados em UTI por causa da COVID-19. O estudo em questão foi publicado no início de agosto no periódico científico The Journal of Pediatrics.

Crianças assintomáticas carregam coronavírus por semanas, de acordo com estudos realizados nos Estados Unidos (Imagem: Julia M Cameron/Pexels)

Crianças e COVID-19

A situação da COVID-19 nas crianças e nos adolescentes tem desencadeado uma série de estudos. Na última semana, pesquisadores do Massachusetts General Hospital (MGH), afiliado a Harvard, e do Mass General Hospital for Children (MGHfC) descobriram que as crianças desempenham um papel maior na difusão do coronavírus na comunidade do que se pensava anteriormente, e que embora as crianças mais novas tenham um número menor do receptor do vírus do que as crianças mais velhas e os adultos, isso não se correlaciona com uma carga viral reduzida, o que significa que são mais contagiosas.

Enquanto isso, um estudo de junho publicado na Nature Medicine descobriu que pessoas com menos de 20 anos têm metade da probabilidade de contrair a doença. O relatório indicou aumento de casos entre crianças, mas também descobriu que essa população representa apenas 9,1% de todos os casos de COVID-19 dos EUA. Embora o risco seja menor, ele não é inexistente: o estudo observou que entre 0,2 e 8,8% dos casos infantis de COVID-19 exigiram hospitalização, e a taxa mais alta de mortes pediátricas foi de 0,6%.

Fonte: JAMA, Pediatrics, The Harvard Gazette, Scientific American

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.