Publicidade

Cientistas usam ondas sonoras para controlar células cerebrais em novo estudo

Por| Editado por Luciana Zaramela | 09 de Fevereiro de 2022 às 18h50

Link copiado!

 twenty20photos/Envato
twenty20photos/Envato

Em um estudo publicado na revista científica Nature Communications nesta quarta (9), pesquisadores do Salk Institute for Biological Studies (EUA) descreveram uma nova técnica chamada sonogenética, que utiliza ondas sonoras para controlar células cerebrais. O grupo, que já tivera êxito em testes com vermes, conseguiu aplicar a novidade também em mamíferos.

Os pesquisadores identificaram uma proteína chamada TRPA1, que é sensível ao som e permite ativar células no cérebro ou no coração por meio dele. No entanto, o trabalho não foi fácil: a equipe precisou analisar aproximadamente 300 proteínas diferentes até encontrar uma que cumprisse a proposta desejada.

Uma vez determinada a TRPA1, os autores do artigo usaram uma abordagem de terapia genética para inserir a proteína a neurônios de camundongos. A expectativa é que a descoberta seja o primeiro passo rumo a um cenário com versões não invasivas de estimulação cerebral profunda.

Continua após a publicidade

Atualmente, a estimulação cerebral já está presente no tratamento de Parkinson e epilepsia, mas isso envolve o implante cirúrgico de eletrodos no cérebro. Assim, o trabalho com as ondas sonoras pode representar mais praticidade. Outra estimativa é que a sonogenética possa ser usada nas células cardíacas como uma espécie de marcapasso sem cirurgia.

A ideia agora é entender a fundo como a TRPA1 faz para detectar as ondas sonoras. O grupo também pretende procurar outras possíveis proteínas sensíveis ao som.

Fonte: Nature Communications