É possível ver o som?

É possível ver o som?

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 10 de Novembro de 2021 às 09h40
twenty20photos/Envato

Os cinco sentidos são muito mais complexos do que imaginamos, mas veja só: eles não estão necessariamente isolados. Por isso, não é incomum que uma questão venha à tona: é possível ver o som? Com isso em mente, ao longo do tempo, a ciência encontrou métodos para que se possa dar vida visual a estímulos sonoros.

De acordo com o professor Mike W., do departamento de física da Universidade de Illinois (EUA), o som é o que percebemos quando nossos ouvidos detectam diferenças na pressão de um meio que nos rodeia (ar, água, etc). Uma onda sonora no ar é a mesma coisa que uma onda de pressão, já que há deslocamento físico do meio. A onda de luz, por outro lado, é denominada como onda eletromagnética.

"As células em nossos olhos podem reagir à radiação eletromagnética do espectro visível e dizer ao nosso cérebro a frequência da luz detectada. Os sinais cumulativos dessas células fornecem ao nosso cérebro informações suficientes para criar o senso de visão. Como as ondas sonoras nada têm a ver com a radiação eletromagnética que nossos olhos estão equipados para detectar, nunca seremos capazes de ver o som diretamente", explica o professor.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

"Nos sólidos, podemos ter tipos de som diferentes, incluindo modos ópticos transversos, que têm algo em comum com a luz, uma vez que incluem um campo elétrico oscilante. No entanto, as frequências são todas bem menores que as do espectro visível. É por isso que, nos sólidos, as ondas sonoras descrevem o deslocamento dos átomos. Não dá para ter comprimento de onda menor que o espaçamento entre os átomos, então as regras valem para frequências bem altas", completa.

Como ver o som

No século 19, o físico alemão August Toepler criou uma técnica de fotografia chamada Visualização de Fluxo de Schlieren, voltada a captar mudanças na densidade, o que leva a enxergar algo normalmente invisível aos olhos humanos, como o calor subindo da chama de uma vela, por exemplo. O experimento permite "ver" o som, o que nada mais é que a tradução visual da mudança na densidade do ar. Michael Hargather, professor de Engenharia Mecânica da Universidade de New Mexico Tech (EUA), produz vídeos utilizando esta técnica:

E nem precisamos ir tão longe: aqui mesmo no Canaltechnoticiamos o caso de um artista que utilizou ferro fluido e eletroímãs dentro de um compartimento de vidro numa caixa de som. Assim, quando a caixa é ligada, o material se mexe de acordo com as vibrações, como se estivesse dançando. Dependendo da batida e da melodia, o material forma desenhos aleatórios, o que lembra cenas de Venom, da Marvel:

O canal Manual do Mundo (com quem inclusive já batemos um papo, que você pode conferir aqui) também realizou experimentos para mostrar que é possível "ver" o som. O vídeo aponta a diferença da vibração das cordas de acordo com as notas musicais, enquanto a caixa de som reproduz a mesma frequência do som que toca, ao que o prato da bateria, quando recebe a batida da baqueta, não vibra por inteiro, mas, sim, como ondas vibratórias que produzem o som. Confira:

Fonte: Live Science, University of Illinois, HypeScienceMuseu do aparelho auditivo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.