Cientistas japoneses usam vermes para detectar câncer pelo cheiro

Cientistas japoneses usam vermes para detectar câncer pelo cheiro

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 16 de Novembro de 2021 às 16h30
Monster Filmmakers/Envato

A empresa japonesa de biotecnologia Hirotsu Bio Science investiu em recursos particularmente excêntricos para diagnosticar câncer pancreático: vermes geneticamente modificados. Basicamente, esses vermes, que pertencem à espécie Caenorhabditis elegans, foram adaptados para detectar sinais da doença presentes na urina. O experimento foi conduzido lado a lado com a Universidade de Osaka.

A ideia por trás desse projeto é ajudar a aumentar as taxas de detecção de câncer no Japão, que, como em muitos países, viu as taxas de rastreamento caírem durante a pandemia, à medida que as pessoas evitavam consultas médicas. No entanto, mesmo antes da pandemia, os pacientes japoneses compareciam aos exames com pouca frequência.

Através do olfato, vermes detectaram sinais da doença presentes na urina (Imagem: seventyfourimages/envato)

"Embora a detecção precoce seja indispensável ​​para melhorar o prognóstico dos pacientes com câncer de pâncreas, ainda não foi alcançada. Com exceção do câncer de pâncreas, outros cânceres já tinham sido examinados por meio de testes de odor em animais ou microorganismos, incluindo Caenorhabditis elegans", afirma a pesquisa.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O artigo aponta que os vermes conseguiram identificar corretamente todas as 22 amostras de urina de pacientes com câncer de pâncreas, incluindo pessoas em estágios iniciais da doença. O estudo completo pode ser encontrado na revista científica Oncotarget.

Fonte: The Business Times

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.