Cientistas encontram câncer ósseo avançado em fóssil de dinossauro

Cientistas encontram câncer ósseo avançado em fóssil de dinossauro

Por Natalie Rosa | 04 de Agosto de 2020 às 17h05
Royal Ontario Museum

Pesquisadores detectaram evidências de um câncer grave em ossos de um dinossauro encontrado em Dinosaur Provincial Park, no sul da província de Alberta, no Canadá. O tumor maligno foi diagnosticado nos restos de um Centrosaurus, espécie herbívora que viveu durante o período Cretáceo, há 76 milhões de anos, sendo um dos maiores dinossauros com chifre de toda a América do Norte.

O estudo com a descoberta foi publicado na revista The Lancet Oncology, mostrando que os cientistas, inicialmente, acreditaram que o formato do osso se dava a uma fratura que não havia sido bem cicatrizada. Porém, bastou fazer a comparação do achado com a estrutura fóssil de um câncer nos ossos de um humano para chegarem a outra conclusão.

Reconstrução em 3D do tumor, no topo do osso (Imagem: Royal Ontario Museum)

De acordo com os pesquisadores, o Centrosaurus sofria de um câncer chamado osteossarcoma, que ataca principalmente adolescentes e jovens adultos. A doença provoca tumores de tecido ósseo imaturo, na maioria das vezes nos ossos da perna. 

Esta não foi a primeira vez que vestígios de câncer foram encontrados em vestígios fósseis de animais. Pesquisadores já encontraram tumores benignos em restos de Tiranossauros, além de artrite em dinossauros da família Hadrosauridae e osteossarcoma em uma tartaruga de 240 milhões de anos. O estudo, no entanto, registra o primeiro diagnóstico de câncer em dinossauro de nível celular.

Reconstrução em 3D do osso com o tumor em amarelo (Imagem: Royal Ontario Museum)

Infelizmente, a doença parece ter levado muito sofrimento ao Centrosaurus, segundo as pesquisas. Os fósseis foram analisados por paleontólogos, patologistas, um cirurgião e um radiologista, que usaram a tecnologia de tomografia computadorizada de alta resolução para avaliar a estrutura das células.

Segundo os cientistas, a descoberta traz uma atenção a mais em fósseis e más-formações, fornecendo novas respostas sobre as origens evolucionárias das doenças.

Fonte: Science Magazine

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.