Cientistas cultivam mini-pulmões em laboratório para compreender a COVID-19

Cientistas cultivam mini-pulmões em laboratório para compreender a COVID-19

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 02 de Setembro de 2021 às 11h50
Robina Weermeijer / Unsplash

Em um novo estudo da Escola de Medicina de San Diego da Universidade da Califórnia, pesquisadores da Escola de Medicina de San Diego da Universidade da Califórnia conseguiram cultivar organóides pulmonares (basicamente mini-pulmões) em laboratório, a partir de células-tronco adultas derivadas de pulmões humanos que foram removidas cirurgicamente devido ao câncer de pulmão.. 

Os pesquisadores também relatam que a infecção por SARS-CoV-2 dos organóides pulmonares replica infecções reais e revela as funções especializadas que vários tipos de células desempenham nos pulmões infectados.

Os autores do artigo foram capazes de manter as células que compõem as vias aéreas superiores e inferiores dos pulmões humanos, e ao infectar os organóides pulmonares com SARS-CoV-2, a equipe descobriu que as células das vias aéreas superiores são essenciais para o vírus estabelecer a infecção, enquanto as células das vias aéreas inferiores são importantes para a resposta imunológica. Ambos os tipos de células contribuem para a resposta imune com excesso de zelo, às vezes chamada de tempestade de citocinas, observada em casos graves de COVID-19.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Equipe infectou os mini-pulmões com SARS-CoV-2 (Imagem: kjpargeter/Freepik)

Infectados ou não com SARS-CoV-2, mini-pulmões se comportaram de maneira semelhante aos pulmões reais. Os pesquisadores mostraram que seus organoides pulmonares adultos replicaram COVID-19 melhor do que qualquer outro modelo de laboratório atual. 

Uma vez que suas descobertas em organoides humanos são mais prováveis ​​de serem relevantes para doenças humanas do que descobertas em modelos animais ou linhagens celulares, a equipe espera progredir rapidamente para testes clínicos. O estudo completo pode ser acessado aqui.

Fonte: Science Blog

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.