Cientistas criam dispositivo minúsculo capaz de monitorar saúde óssea

Cientistas criam dispositivo minúsculo capaz de monitorar saúde óssea

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 23 de Novembro de 2021 às 08h40
Harlie Raethel/Unsplash

Na última quinta-feira (18), pesquisadores da University of Arizona (EUA) publicaram na revista científica Nature sua mais nova criação: um dispositivo minúsculo capaz de monitorar a saúde óssea de uma pessoa. A estrutura da tecnologia é bem fina, quase como uma folha de papel, e é capaz de se adaptar à curvatura do osso.

O dispositivo não precisa de bateria. Em vez disso, usa um método chamado comunicação por campo de proximidade (near-field communication, em inglês). Além disso, a invenção possui um adesivo com partículas de cálcio e estrutura atômica semelhante às células ósseas. Na prática, o osso "pensa" que o dispositivo é parte dele e cresce até o próprio sensor, permitindo que se forme uma ligação permanente com o osso e faça monitoramento a longo prazo.

Cientistas da University of Arizona criam dispositivo minúsculo capaz de monitorar saúde óssea (Imagem: Divulgação/University of Arizona)

Como o dispositivo ajuda a saúde óssea

A ideia dos pesquisadores é que um médico possa conectar o dispositivo a um osso quebrado ou fraturado para monitorar o processo de cicatrização. A aplicação é pensada principalmente para pacientes com doenças como a osteoporose, por exemplo (uma doença, inclusive, que se desenvolve se a pessoa consumir muito sal).

O conhecimento sobre a velocidade da cicatrização do osso está cicatrizando também pode ajudar em decisões de tratamento clínico. Além disso, alguns pacientes tomam medicação para melhorar a densidade óssea, o que pode ter efeitos colaterais. O monitoramento ósseo rigoroso permitiria ter uma noção melhor da dosagem desses medicamentos.

Fonte: Nature

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.