China afirma que encontrou coronavírus em frango importado do Brasil

Por Nathan Vieira | 13 de Agosto de 2020 às 16h14
sippakorn yamkasikorn/Unsplash

Na última quarta-feira (12), autoridades chinesas afirmaram que uma amostra de asas de frango congeladas importadas do Brasil testou positivo para o coronavírus na cidade de Shenzhen, no sul da China. No entanto, a Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que a possibilidade de contrair o vírus pela comida é baixa.

Ao se depararem com o resultado, as autoridades de saúde de Shenzhen imediatamente rastrearam e testaram pessoas que poderiam ter entrado em contato com o produto, mas todos os resultados deram negativos. Com isso, todos os produtos relacionados em estoque foram lacrados e tiveram resultados negativos. Agora, as autoridades estão rastreando produtos da mesma marca que já foram vendidos, e já desinfetaram a área onde as asas de frango contaminadas estavam armazenadas.

Essa contaminação do alimento pode ser responsável por um impacto nas exportações para a China, que é o maior consumidor do produto brasileiro. O Ministério da Agricultura afirmou que ainda não foi notificado oficialmente do caso pelo governo chinês e trata o tema como "susposta detecção". O órgão comunicou à imprensa que "acionou imediatamente a Adidância Agrícola em Pequim, que por sua vez consultou a Administração Geral de Aduanas da China (GACC), buscando as informações oficiais que esclareçam as circunstâncias da suposta contaminação".

No entanto, não é a primeira vez que o vírus é encontrado em um alimento. Acontece que, um dia antes, o coronavírus foi encontrado numa embalagem de camarões importados do Equador, em um restaurante no leste da província de Anhui.

Desde julho, houve sete casos em que o vírus foi detectado nas embalagens de produtos do mar importados, o que gerou preocupações sobre a segurança dos alimentos importados. As autoridades sanitárias chinesas disseram repetidamente ao público para ser cauteloso ao comprar carne e frutos do mar importados. Nas redes sociais chinesas, alguns pediram a suspensão de todas as importações de alimentos congelados.

OMS afirma que é improvável contrair COVID-19 por alimentos

China afirma que encontrou coronavírus em frango importado do Brasil, mas OMS destaca que contrair COVID-19 pelo alimento é improvável (Imagem: Reprodução/Pixabay)

A OMS afirma que é "altamente improvável que as pessoas contraiam o coronavírus em alimentos ou embalagens de alimentos". Enquanto isso, de acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, o risco de infecção pelo vírus em produtos alimentícios, embalagens de alimentos ou sacolas é "considerado muito baixo".

Embora seja possível pegar COVID-19 tocando em uma superfície ou objeto — incluindo alimentos ou embalagens de alimentos que contenham o vírus — e, em seguida, tocando sua boca, nariz ou possivelmente olhos, não se acredita que seja o principal forma como o vírus se espalha. “Não há evidências até o momento de vírus que causam doenças respiratórias sendo transmitidos por alimentos ou embalagens de alimentos. Coronavírus não podem se multiplicar em alimentos; eles precisam de um hospedeiro animal ou humano para se multiplicar”, diz a OMS.

Fonte: CNN

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.