Chile autoriza provisoriamente vacina da Pfizer contra COVID-19; entenda

Por Nathan Vieira | 16 de Dezembro de 2020 às 16h00
Thirdman/Pexels

A população mundial aguarda ansiosamente pela vacina contra a COVID-19. E quem conta com novidades nessa área é o Chile, que autorizou o uso emergencial da vacina produzida pela farmacêutica Pfizer e pelo laboratório alemão BioNTech. A decisão foi tomada por um grupo de 22 especialistas na área, e com essa autorização, chilenos com mais de 16 anos poderão ser vacinados.

O diretor do Instituto de Saúde Pública do Chile, Heriberto Garcia, classificou o momento como histórico para o país: “Não é uma resolução definitiva, mas uma resolução que segue em desenvolvimento, a partir da lógica daquilo que vai chegando no dia a dia”, disse Garcia.

“Esta comissão de especialistas se pronuncia favoravelmente sobre o pedido de autorização de uso excepcional por urgência sanitária solicitada para a vacina BNT 162b2 apresentada pelo Laboratório Pfizer”, disse Caroline Weinstein, integrante do grupo de especialistas participantes da votação, após sua apresentação em análise os estudos e escopos que foram feitos em relação à vacina Pfizer. A comissão de especialistas também votou a idade a partir da qual a população pode ser vacinada, concordando que a população chilena deveria ser imunizada a partir dos 16 anos.

Chile aprova uso emergencial de vacina da Pfizer contra COVID-19 (Imagem: Daniel Schludi/Unsplash)

Heriberto García Escorza conta que a análise começou em 27 de novembro, quando as informações sobre a Pfizer chegaram ao Chile. “Hoje o comitê de especialistas analisou se o Chile estava preparado ou não na logística para receber as vacinas. A boa notícia é que o Chile está pronto: o Chile hoje tem um sistema adequado para receber vacinas com uma logística tão complexa para vacinar a população”, declarou.

No país, o esforço não é chamado de aprovação emergencial, mas sim de pedido de autorização provisória, previsto no artigo 99.º do Código Sanitário e que se destina a cobrir uma necessidade urgente de natureza coletiva, derivada de uma situação de escassez ou inacessibilidade de um determinado recurso farmacológico: a necessidade urgente de proteção da população. Após a autorização, a resolução é executada, o que pode demorar alguns dias. Com essa resolução, o laboratório pode apenas importar as vacinas apresentando o documento na alfândega.

A previsão é que o primeiro lote de doses chegue ao Chile em mais uma semana, ou seja, por volta da próxima quarta-feira (23). Se essas datas forem cumpridas, o início da vacinação começaria na quinta-feira (24) e sexta-feira (25).

Fonte: La Tercera

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.