Câncer de intestino pode ter alta influência genética, aponta estudo

Câncer de intestino pode ter alta influência genética, aponta estudo

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 16 de Setembro de 2021 às 12h30
JimCoote/Pixabay

Segundo pesquisa norte-americana, o câncer de intestino — também é conhecido como câncer de cólon e reto ou colorretal — pode ter uma forte influência genética e casos em parentes de até terceiro grau podem demandar cuidados preventivos extras, como exames. Este tipo de câncer abrange tumores que se iniciam na parte do intestino grosso chamada cólon e no reto.

No estudo da Universidade de Buffalo e da Universidade de Utah, os pesquisadores observaram que, se um indivíduo tem um parente de segundo ou terceiro grau que desenvolve esse tipo de câncer de intestino em uma idade precoce (antes dos 50 anos), as chances dessa pessoa desenvolve-lo também aumentam substancialmente.

Risco de câncer colorretal é maior para pessoas que tiveram familiares com este tipo de tumor antes dos 50 anos (Imagem: Reprodução/Colin Behrens/Pixabay)

Vale lembrar que parentes de primeiro grau incluem pais, filhos e irmãos. Já os parentes de segundo grau incluem tias, tios, avós, netos, sobrinhas e sobrinhos. Por fim, os parentes de terceiro grau incluem primos de primeiro grau, bisavós e bisnetos.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O estudo

"Nosso estudo fornece uma nova visão sobre a magnitude do risco para parentes mais distantes de casos de câncer colorretal e, em particular, para parentes de casos que foram diagnosticados antes dos 50 anos", comentou a pesquisadora e uma das autoras do estudo, Heather Ochs Balcom. "Este trabalho é importante devido às taxas crescentes de câncer colorretal de início precoce", complementou sobre o estudo publicado na revista científica Cancer Epidemiology.

Para a pesquisa, a equipe de cientistas revisou mais de 1,5 mil casos de câncer colorretal com início precoce, incluídos nos registros de saúde de Utah. Após a análise, eles observaram: parentes de primeiro grau de alguém com diagnóstico de câncer de início precoce têm seis vezes mais probabilidade de desenvolver o câncer antes dos 50 anos; parentes de segundo grau são três vezes mais prováveis; e parentes de terceiro grau são cerca de 1,5 vezes mais prováveis.

Além disso, os pesquisadores descobriram que as pessoas têm um risco 2,6 vezes maior de câncer de intestino, em qualquer idade, se tiverem um parente de primeiro grau com este tipo de câncer de início precoce.

Importância da colonoscopia 

Para os autores do estudo, essas descobertas sugerem que um exame de colonoscopia antes dos 50 anos pode ser benéfico para casos onde há histórico do câncer na família. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o diagnóstico precoce é bastante importante para o controle da doença.

"É tratável e, na maioria dos casos [desse tipo câncer], curável, ao ser detectado precocemente, quando ainda não se espalhou para outros órgãos. Grande parte desses tumores se inicia a partir de pólipos, lesões benignas que podem crescer na parede interna do intestino grosso", comenta o Inca, em seu site oficial.

Para acessar o estudo completo, clique aqui.

Fonte: WB Med e Inca  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.