Brasil fica de fora de plano de doação de 500 milhões de vacinas pelos EUA

Por Natalie Rosa | Editado por Luciana Zaramela | 10 de Junho de 2021 às 15h20
Photocreo/Envato Elements

No início desta quinta-feira (10), o Brasil recebeu a notícia que está fora da lista de países que receberão vacinas da Pfizer contra a COVID-19, que serão doadas pelos Estados Unidos. As 500 milhões de doses adquiridas pelo país norte-americano serão destinadas a 92 países da baixa renda, e também para a União Africana, sendo a maior compra e doação de vacinas feita até então desde o início da pandemia.

O anúncio acontece uma semana depois de o país divulgar que o Brasil estava incluído na lista para receber as doses junto a outros países da América do Sul. Porém, ainda que o Brasil faça parte do Covax Facility, os EUA consideraram que somos um país capaz de comprar suas próprias vacinas. Entre os países que receberão o imunizante estão Angola, Cabo Verde, Quênia, Afeganistão, Índia, Paquistão, Caribe, Bolívia, Nicarágua, entre outros. 

Imagem: Reprodução/erika8213/envato

O consórcio Covax foi criado durante a pandemia para ajudar na distribuição igualitária de imunizantes em todo o mundo. Das 500 milhões de doses adquiridas pelos EUA a preço de custo, 200 milhões serão enviadas até o fim de 2021 a partir de agosto, e o restante apenas no primeiro semestre do ano que vem. A Casa Branca revelou que as doses serão produzidas nos estados norte-americanos do Michigan, Kansas, Missouri e Massachusetts, nas fábricas da própria Pfizer.

Fonte: G1

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.