Brasil está na rota dos testes de vacina contra o vírus HIV

Por Natalie Rosa | 25 de Julho de 2019 às 18h13
iStock

Cientistas responsáveis pela produção da vacina contra o vírus HIV estão prestes a dar um passo importante no desenvolvimento da fórmula, entrando na fase de testes clínicos com aplicação em seres humanos.

Entre os países escolhidos para receber os testes está o Brasil, com previsão de início neste semestre de 2019, e cerca de 3.800 voluntários de oito países da América do Norte, Sul e Europa receberão a aplicação.

A vacina faz o uso de um vetor de um adenovírus, semelhante ao da gripe, que é capaz de produzir antígenos estimulantes da imunidade humana, além de proteínas solúveis Mosaic e Clade C com fosfato de alumínio adjuvante. Serão quatro doses injetadas, duas com os antígenos (vacina 1 e 2) e duas com as proteínas (3 e 4).

Imagem: Reprodução

Para participar do estudo, programado para começar em setembro, é preciso estar "em risco avançado" de contração da doença, além de outros critérios, como ter realizado sexo sem preservativo em relação casual, com parceiro que tenha HIV negativo ou positivo em terapia anti-retroviral, diagnóstico de gonorreia, clámídia retal/uretral ou sífilis, ou ter usado cocaína ou anfetamina como estimulantes.

De acordo com os responsáveis pela vacina, ela deve prevenir o HIV, mas não deverá ser usada como substituição de outros métodos, sendo apenas uma medida adicional. Resultados definitivos sobre a vacina deverão ser apresentados em quatro anos — sendo assim não há uma previsão da liberação oficial para aplicação geral.

Fonte: Exame, Rio Times

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.