Boletim oficial: Brasil tem 4.579 casos 159 óbitos de COVID-19

Por Fidel Forato | 30 de Março de 2020 às 18h10
Reprodução/News Break

Em live transmitida pelas redes sociais, hoje (30), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ao lado de outros chefes de ministérios do país, atualiza o número de casos da pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) no Brasil e as medidas para o enfrentamento da crise. Nessa segunda-feira, até às 17h, foram registrados 4.579 casos positivos para a COVID-19.

Ainda de acordo com as informações compartilhadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde de todo o país, o número de óbitos aumentou de 136 para 159. O índice de letalidade do novo coronavírus no Brasil também chegou a 3,5% para as pessoas infectadas, segundo o Ministério da Saúde. 

Sobre o índice, que cresce dia após dia, Mandetta esclarece: "Quanto menos testes você faz, maior fica a letalidade. Quanto mais testes você faz, menor fica a letalidade". Por isso mesmo, com ações como a maior distribuição de testes, esses números devem se alterar. "Esperem para essa semana um aumento grande", argumenta o ministro da Saúde sobre o número de casos confirmados com a chegada dos kits e a futura queda no índice de letalidade. 

Participam também da coletiva, os ministros da Casa Civil, Braga Netto; da Cidadania, Onyx Lorenzoni; da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas; e o Advogado-Geral da União (AGU) André Luiz de Almeida Mendonça.

Sobre a maior participação de autoridade federais na coletiva, Mandetta esclarece: "A partir de agora iniciamos um conceito ampliado das ações de enfrentamento ao coronavírus. Esse vírus extrapola o tamanho do ministério da Saúde e, por isso, contaremos com a participação de outros ministérios".

COVID-19 nos estados

Casos do novo coronavírus, estão concentrados no Sudeste (Imagem: Reprodução/ Ministério da Saúde)

Entre as regiões brasileiras, o Sudeste segue como epicentro da COVID-19, com 2.507 pacientes infectados, o que representa 55% dos casos brasileiros. Em segundo lugar está o Nordeste, com 790 casos confirmados, seguido pelo Sul (593 casos), Centro-Oeste (435) e Norte (254). 

Quanto aos estados brasileiros, desde a chegada do novo coronavírus, o estado de São Paulo segue concentrando os casos da infecção, com 1.517 pacientes e 113 óbitos. Também registram elevados números da COVID-19 o estado do Rio de Janeiro, com 657 casos e 18 óbitos; e o Ceará, que apresenta 372 casos e, até o momento, cinco óbitos.

"Não esperamos ter uma epidemia ao mesmo tempo em todas as unidades da confederação", explica Mandetta. Isso poque os casos da COVID-19 não se distribuem regularmente por todo o território, como é possível analisar pelos gráficos. "Quando formos falar e movimentação urbana, vamos falar de quem está em risco maior e quem está em risco menor", esclarece o ministro, destacando as situações de São Paulo, Rio de Janeiro e Ceará, além do Distrito Federal.

Na ocasião, o ministro da Saúde também alerta para o risco dos esperados casos de gripe, a influenza (H1N1), se sobrepondo aos casos da COVID-19, o que pode sobrecarregar o Sistema Único de Saúde (SUS). "Esse é o nosso maior temor no momento", afirma Mandetta sobre os próximos desafios do Brasil no combate da pandemia.

Para manter a população informada sobre a evolução da doença no território brasileiro, o Ministério da Saúde alimenta sua plataforma online própria sobre o novo coronavírus. Além de dados, esse painel traz análises como a evolução da COVID-19 com porcentagens, gráficos e sua distribuição pelo território. Para acessar, clique aqui.

Fonte: Ministério da Saúde

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.