Anvisa aprova novo produto com CBD, e deputados discutem cultivo de cannabis

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 12 de Maio de 2021 às 14h10
Jeff W/ Unsplash

Com aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), uma nova marca de produtos com canabidiol (CBD) — um dos compostos da cannabis com propriedades medicinais — chega ao mercado brasileiro. A partir de julho, a Nunature, empresa fundada por empresários norte-americanos e brasileiros, deve disputar a venda de canabinoides diretamente com a farmacêutica Prati Donaduzzi, a primeira a obter registro de produtos no Brasil.

A Anvisa autoriza, desde o fim de 2019, que empresas solicitem uma autorização para produção e comercialização de produtos derivados da cannabis no Brasil. Só que, até então, a única a solicitar a licença foi a Prati Donaduzzi, que dominava o mercado. Comercializado pela farmacêutica, um frasco com 3.000 mg de óleo à base de canabidiol isolado pode custar R$ 2.300.

Anvisa autoriza a venda de dois novos produtos com CDB no Brasil (Imagem: Reprodução/David Gabrić/Unsplash)

Antes da chegada das empresas, só era possível consumir produtos com canabidiol através de importação individual, o que é permitido desde 2015 no Brasil. Agora, o mercado da cannabis parece florescer nacionalmente.

Novo player no mercado nacional da cannabis

Com a autorização da Anvisa, a Nunature poderá oferecer dois produtos com full spectrum, ou seja, que mantêm outras propriedades naturais da planta. "Por mais que a nossa concentração seja 'baixa', dentro dos estudos os efeitos terapêuticos são mais eficazes em relação ao isolado nas mesmas concentrações", detalha Jorge Felipe Lara, vice-presidente de Operações no Brasil, para a revista Exame. Através da nova marca, o frasco de canabidiol de 1.000 mg deve custar R$ 840,00 e o de 500 mg sairá por R$ 520.

“O processo foi rigoroso e extensivo como deve ser e nós merecemos ele, porque exigiu bastante paciência e força. Nós fizemos isso porque sabemos o quão importante o Brasil é. E o Brasil é agora um tipo de ponta de lança do mercado de cannabis. O país chegou um pouco atrasado nessa 'festa', mas agora que vocês estão aqui, estamos felizes por sermos aqueles que vão atender suas necessidades porque nosso canabidiol de full spectrum é único no mercado”, afirma Christopher Cowart, vice-presidente de Sales & Marketing da empresa.

A empresa tem uma fazenda de cânhamo — uma variedade da cannabis sem compostos psicoativos — no estado do Colorado, nos Estados Unidos, de onde extrai o canabidiol. Por aqui, o produto já é importado pronto.

Deputados discutem o plantio de cannabis para fins medicinais

Depois de 2019, um novo marco pode transformar o mercado da cannabis medicinal no Brasil. Isso porque deputados discutem a autorização (ou não) no país. Após adiamento, na próxima segunda-feira (17), uma comissão especial da Câmara dos Deputados deve discutir um projeto (PL 399/15) que regula o cultivo da planta para fins medicinais, veterinários, científicos e industriais.

Com as emendas incluídas na terça-feira (11), o PL pode legalizar o cultivo da cannabis no país com algumas restrições, caso aprovado. Por exemplo, o plantio seria permitido apenas a pessoas jurídicas, como empresas, associações de pacientes e organizações não governamentais. Em outras palavras, não há nenhuma previsão para o cultivo individual. Além disso, as companhias interessadas deverão ser previamente autorizadas pelo poder público e deverá ser apresentado um plano de segurança para evitar o acesso a pessoas não autorizadas.

Fonte: Câmara, Exame e Pharma  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.