10 doenças mortais que passaram de outras espécies aos humanos

10 doenças mortais que passaram de outras espécies aos humanos

Por Natalie Rosa | Editado por Luciana Zaramela | 05 de Fevereiro de 2022 às 10h00
Freepik

Ao longo dos anos, a medicina foi capaz de aumentar a expectativa de vida humana, tornando cada vez mais fácil evitar e tratar doenças. No entanto, novos problemas podem surgir ao longo de nossa existência.

Muitas das doenças que surgem na vida humana são provocadas por vírus e bactérias, que se tornam resistentes e podem ser mortais. Algumas delas, inclusive, são passadas de animais para humanos, e o resultado pode ser desastroso.

As doenças infecciosas que são transmitidas entre animais e pessoas são chamadas de zoonoses, e elas podem ser transmitidas por bactérias, vírus e parasitas, ou ainda por contato direto, alimentos, água e meio ambiente.

Doenças transmitidas entre humanos e animais são chamadas zoonoses (Imagem: Reprodução/Wirestock/Freepik)

As primeiras infecções podem acontecer em fazendas ou mercados vivos, locais onde acontece a mistura de patógeno. Consequentemente, acontece a troca de genes que se preparam para infectar novos hospedeiros.

Até o momento, são reconhecidas mais de 30 doenças que podem ser pegas pelo toque com animais, e quase cinquenta que podem ser resultado de mordidas. Assim como nós, humanos, pegamos doenças de animais, eles também podem pegar as nossas.

Conheça quais são as doenças mais perigosas transmitidas entre humanos e animais, e que podem ser fatais.

10. Cisticercose

A cisticercose é uma doença provocada por um parasita chamado tênia, conhecido também como solitária, que entra no organismo após a ingestão de água ou alimentos que contenham seus ovos.

Uma vez no corpo, as larvas nascem e rastejam para os tecidos musculares e cerebrais, formando cistos. A forma mais perigosa acontece quando os cistos aparecem no cérebro, causando a neurocisticercose. Entre os sintomas da doença estão dores de cabeça, convulsões, confusão, inchaço cerebral, dificuldade de equilíbrio, AVC (Acidente Vascular Cerebral) e morte.

A cisticercose também pode ser adquirida com a ingestão de carne de porco crua ou mal cozida.

9. Toxoplasmose

Os gatos são os principais hospedeiros da raiva (Imagem: Divulgação/viktoriian/envato)

O Toxoplasma gondii é um parasita que se aloja no cérebro e pode afetar cerca de dois bilhões de pessoas em todo o mundo, causando a toxoplasmose. Estudos, inclusive, apontam a doença como fator contribuinte para a esquizofrenia.

Gatos domésticos que passeiam fora de casa são seus hospedeiros primários, com os micróbios se reproduzindo sexualmente dentro do intestino dos animais. A contaminação acontece pelo contato com os ovos do parasita que ficam nas fezes, o que pode acontecer no momento de levar o material ao lixo.

O parasita, quando entra no corpo humano, se esconde em regiões que não contam com defesa imunológica, como cérebro, coração e tecido muscular esquelético. Nessas áreas, os ovos encapsulados se transformam no parasita taquizoíto, se multiplica e se espalha.

A ciência chama o parasita de "controlador mental", pois roadores que se infectam esquecem o medo dos gatos, além de se sentirem atraídos pelo cheiro da urina dos felinos.

O parasita pode não ter sintomas perceptíveis em humanos, que podem ser dores parecidas com as da gripe e linfonodos inchados. Casos mais graves podem causar dano cerebral e perda de visão.

8. Doença de Lyme

A doença de Lyme é transmitida pelos carrapatos (Imagem: Reprodução/Erik Karits/Unsplash)

Se um dia você achar um carrapato em seu corpo, tome cuidado, pois o inseto pode provocar a doença de Lyme. Os carrapatos que transmitem essa doença são os carrapatos do veado, ou de patas negras, e na hora do contato com os humanos transmitem a bactéria Borrelia burgdorferi ou Borrelia B. mayonii.

A doença pode se espalhar para as articulações, coração e sistema nervoso, podendo ser fatal. Mas quanto antes o paciente descobrir, mais eficaz será o tratamento com antibióticos. Entre os sintomas da doença de Lyme estão febre, dor de cabeça, cansaço e eritema migratório, que consiste em uma erupção na pele em forma de círculo.

7. H1N1

Em 2009, o mundo passou pela pandemia da gripe H1N1, doença conhecida também como influenza A, ou gripe suína, que provocou a morte de centenas de milhares de pessoas em todo o mundo. O vírus se originou de rebanhos de porcos, ainda em 1919.

Entre os sintomas da doença estão febre, tosse, dor de garganta, dores no corpo e calafrios, e o tratamento é feito com remédios. Também é possível se vacinar para prevenir a doença.

6. Peste negra

Uma das doenças mais mortais do mundo foi a peste negra, que impactou o mundo no século 14 e que matou 75 milhões de pessoas, de apenas 360 milhões que existiam.

A doença é provocada pela bactéria Yersinia pestis, transportada por roedores e gatos. Ela é transmitida aos humanos através de mordidas de pulgas infectadas. Quando transmitida entre humanos, se torna mais mortal.

Os sintomas da peste negra são parecidos com os da gripe, como dor de garganta, febre, calafrios e fraqueza. Na época, com falta de recursos médicos, a humanidade levou séculos para se recuperar.

5. Raiva

A raiva é uma doença que atinge os animais, mas também pode ser passada para humanos (Imagem: Reprodução/Wirestock/Freepik)

Todos os anos, a raiva mata cerca de 55 mil pessoas em todo o mundo, principalmente na África e na Ásia. A doença é provocada por um vírus do gênero Lyssavirus que é passado para os humanos através da saliva de animais infectados, se alojando no sistema nervoso central.

Entre os sintomas da raiva estão febre, dor de cabeça, excesso de produção de saliva, espasmos musculares, paralisia e confusão mental. A doença pode ser prevenida com uma vacina, mas uma vez infectado não há tratamento e quase sempre é fatal.

4. Hantavirose

A hantavirose é uma doença causada pelo hantavírus, que é transportado principalmente por roedores. Ele infecta os humanos quando as partículas virais são eliminadas na urina, fezes e saliva, pois se transformam em aerossóis que são inalados. Entre os sintomas estão febre, dor de cabeça, calafrios, dor muscular, problemas gastrointestinais e comprometimento cardíaco. A doença é rara e não possui um medicamento específico para tratamento.

3. Ebola

O ebola é transmitido por uma das cinco cepas do vírus de mesmo nome, e pode passar para humanos de gorilas, chimpanzés ou morcegos infectados. A transmissão acontece após o contato com sangue ou fluidos do animal contaminado, e humanos podem compartilhar o vírus entre si através do contato próximo.

Os sintomas do ebola são intensos, como febre, fraqueza, dor muscular, dor de cabeça e garganta, vômitos, diarreia, erupção cutânea, insuficiência renal e hepática, sangramento interno e externo. O tratamento da doença é paliativo, pois não tem cura, e não existem vacinas.

2. Malária e dengue

A dengue e a malária são transmitidas por mosquitos (Imagem: Reprodução/shammiknr/Pixabay)

A malária também é um parasita transmitido através de mordidas de animais, especificamente mosquitos infectados. Os sintomas da malária consistem em calafrios, febre e sudorese, ou ainda dores no abdômen e nos músculos, diarreia, vômito, dor de cabeça, falta de ar, olhos amarelados e ritmo cardíaco acelerado.

O mesmo acontece com a dengue, mas a infecção acontece pelo mosquito Aedes aegypti. Entre os sintomas da doença estão febre alta, erupções cutâneas e dores musculares e articulares. Em casos mais graves, pode acontecer choque hemorrágico e hemorragia intensa.

Enquanto o tratamento da malária é feito com medicamentos antimaláricos, antiparasitários e antibióticos, a dengue é tratada com a hidratação intravenosa.

1. HIV

O HIV, vírus que provoca a AIDS, foi transmitido a humanos pela primeira vez por chimpanzés, provavelmente enquanto pessoas buscavam pela carne do animal e ficaram expostas ao seu sangue. Estudos apontam que as primeiras infecções pelo vírus causadas em humanos ocorreram ainda em 1800.

A doença destrói o sistema imunológico humano, provocando outras doenças como câncer, tuberculose e infecções. Quando a AIDS começou a infectar o mundo todo, na década de 1980, não havia expectativa de vida longa, mas hoje a doença é facilmente tratável com medicamentos, apesar de não ter cura.

Entre humanos o vírus HIV é transmitido pela troca de fluidos corporais com uma pessoa infectada, como sangue, leite materno e secreções durante relações sexuais.

Fonte: LiveScience

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.