Desenvolvedora de Pokémon GO compra empresa especializada em realidade aumentada

Por Redação | 02 de Fevereiro de 2018 às 14h52
divulgação

A Niantic, desenvolvedora de Pokémon GO, anunciou nesta sexta-feira (2) a compra da Escher Reality, uma startup especializada em realidade aumentada. Seu principal produto é uma tecnologia compartilhada, capaz de funcionar em diferentes dispositivos e com vários usuários ao mesmo tempo, todos interagindo em tempo real com os mesmos objetos.

Por mais que a Niantic não tenha informado o que pretende fazer com a adquirida – nem o valor pago por ela –, apenas a descrição dos trabalhos atuais da Escher Reality já dá uma noção do que pode estar por vir. Um dos principais aspectos de Pokémon GO é, justamente, a realidade aumentada, mas ela é individual para cada um dos jogadores do título.

Isso significa que os jogadores, por mais que possam ver os monstrinhos em sua própria tela, não podem compartilhar isso com outros usuários que também estejam caçando no mesmo lugar. A ideia de criação de um mundo compartilhado pode ampliar significativamente o escopo e as possibilidades do título.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Fundada em 2016 por Ross Finman e Diana Hu, a Escher Reality foi centro de uma recente rodada de investimentos, com US$ 3 milhões de aporte obtidos a partir de nomes como iRobot, Y Combinator, Uncork Capital e outras investidoras. Seis funcionários trabalham, hoje, nos escritórios da empresa, que agora, devem se fundir às estruturas da própria Niantic.

Entretanto, em comunicado oficial sobre a aquisição, o CEO da Niantic, John Hanke, afirmou que o negócio tem a ver com a criação de um sistema de realidade aumentada “em escala planetária”. O executivo confirmou que a ideia é aproveitar a tecnologia compartilhada desenvolvida pela Escher Reality, que deve ser amadurecida e disponibilizada para desenvolvedores no futuro próximo.

Essa noção foi corroborada por Finman, no mesmo pronunciamento. Ao comentar a compra, o CEO da startup afirma estar empolgado para trabalhar com a Niantic na “próxima onda de computação espacial e realidade aumentada”. As tecnologias da empresa devem ser integradas ao portfólio da produtora de jogos, de forma a enriquecer os títulos e a experiência dos usuários com eles.

Em processo de franca expansão diante dos milhões de jogadores de Pokémon GO e bilhões de dólares em faturamento, a Niantic aposta nas aquisições para crescer. Em novembro do ano passado, a empresa também adquiriu a Everton, uma startup focada em trazer recursos sociais para jogos e aplicativos, de olho na criação de uma comunidade em volta dos títulos ativos e em desenvolvimento.

Fonte: Venture Beat

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.