Companhia aérea usa robô real em testes de atendimento no aeroporto de Guarulhos

Por Wagner Wakka | 23 de Outubro de 2019 às 09h50
Divulgação/Gol

A Gol começou a experimentar o atendimento com um robô no Aeroporto de Guarulhos. Mas é preciso ser mais claro: estamos falando de um aparelho físico, não só um bot programado para consulta. Chamada de GAL, ela é uma versão em hardware da inteligência artificial do site da companhia.

A tendência é de que aeroportos sejam cada vez mais automatizados. O motivo principal é que a demanda por voos deve crescer, mas não há nem espaço, nem equipe para lidar com tanta gente. Assim, uma assistente virtual como a Gal pode ajudar em procedimentos, como orientar sobre despacho de malas e check-in.

Segundo o diretor de aeroportos da Gol, José Luiz Belixior, o robô não vem ainda para tomar o lugar dos atendentes. “Ela será uma nova opção de contato, mas não substitui em nenhum momento as atividades de um dos nossos colaboradores”, explica.

Gal, robô de atendimento em Guarulhos (Foto: Divulgação/Gol)

Contudo, qual o objetivo de se ter uma assistente virtual física? A ideia é dar mobilidade para o robô. Segundo a empresa, a Gal vai se locomover por 10 pontos do aeroporto de Guarulhos. Assim, é possível que a inteligência artificial guie usuários até filas ou espaços de embarque.

O robô foi criado em parceria com a Ubtech, companhia da China especializada em robótica, e pla Puginbot, empresa nacional que desenvolveu o sistema de chatbot. A Gal conta ainda a plataforma de Inteligência Artificia Watson, da IBM. para que seu aprendizado evolua conforme o uso.

A peça ainda está em fases de testes no Aeroporto de Guarulhos, sendo que a ideia pode ser expandida para outros terminais aeroportuários do país. A Gal pode passar também a integrar mais funções como compra de passagens, troca de assentos e remarcação de voos em breve.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.