Cientistas criam robô humanoide capaz de voar como o Homem de Ferro

Cientistas criam robô humanoide capaz de voar como o Homem de Ferro

Por Gustavo Minari | Editado por Douglas Ciriaco | 15 de Dezembro de 2021 às 16h44
Reprodução/IIT

Pesquisadores do Instituto Italiano de Tecnologia (IIT) estão trabalhando no desenvolvimento de um robô humanoide capaz de voar. O nome iRonCub é uma homenagem ao Homem de Ferro (Iron Man), da Marvel, justamente por causa da sua capacidade de decolar usando jatos propulsores nas mãos.

Além desse mecanismo que permite ao bot levantar voo, o protótipo possui outros dois motores presos a uma mochila que proporcionam uma estabilidade maior durante a decolagem, evitando que todo o conjunto penda para frente ou para trás por conta da potência gerada em cada um dos jatos.

“Quando Tony Stark faz isso no filme, temos a nítida impressão que é fácil, mas toda essa dinâmica de voo é extremamente complicada, principalmente para um robô humanoide que não foi projetado para desempenhar essa função com frequência”, explica a chefe do laboratório de inteligência artificial e mecânica do IIT Daniele Pucci.

Balanceamento

Segundo os cientistas, o segredo para manter o voo estável está no balanceamento dos motores, que precisam equilibrar a quantidade de potência com o peso de cada extremidade do robô. Para testar a eficiência dos propulsores, eles usaram duas balanças capazes de medir variações mínimas de peso durante a decolagem.

Se os pesquisadores conseguirem manter essas características no mundo real — e não apenas nas simulações de computador — o iRonCub pode ser usado no futuro para superar terrenos acidentados, regiões alagadas e qualquer outro tipo de obstáculo em missões de resgate ou desastres ambientais.

“Ao contrário de um drone simples ou quadrimotores, um robô humanoide poderia, literalmente, dar uma mão aos seres humanos enquanto voa por um terreno difícil de atravessar com seu jetpack. Ter membros livres para carregar ou levantar objetos é essencial em situações de perigo”, acrescenta Pucci.

Decolagem autorizada

Por enquanto, a equipe do IIT está se concentrando na validação dos algoritmos que controlam a distribuição de potência entre os motores. Durante os testes realizados em laboratório o iRonCub demonstrou que é capaz de decolar, pelo menos em teoria, já que ele ainda não saiu do solo.

iRonCub durante o teste dos propulsores (Imagem: Reprodução/IIT)

Os cientistas fizeram alguns ensaios em um ambiente virtual, alimentando o sistema com variáveis referentes ao vento, condições climáticas, características do terremo e força dos motores. O próximo passo será testar o robô físico em uma situação de voo real, utilizando os dados obtidos nas simulações para garantir a segurança do bot e dos humanos que estão em terra firme.

“Além de todas as aplicações práticas de ter um robô que decola partindo da inércia, esse sistema inovador também poderá ser utilizado no desenvolvimento de exoesqueletos voadores, sem que seja necessário colocar um piloto humano em risco para testar o equipamento”, encerra Daniele Pucci.

Fonte: IIT

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.