Xiaomi fecha o 1º trimestre com lucros em alta de 13,6% na relação com 2019

Por Claudio Yuge | 20 de Maio de 2020 às 22h15
Gizmochina
Tudo sobre

Xiaomi

Saiba tudo sobre Xiaomi

Ver mais

A Xiaomi continua com sua receita ascendente das últimas temporadas e fechou o primeiro trimestre de 2020 com um excelente desempenho na China e na Índia, onde é líder de vendas já há quase dois anos. A proposta de bom custo/benefício tem trazido bons resultados e, de acordo com os relatórios dos três primeiros meses do ano, a chinesa faturou US$ 7 bilhões — um aumento de 13,6% em relação ao ano passado.

O lucro líquido foi de aproximadamente US$ 325 milhões), uma alta de 10,6% em relação à temporada anterior. As vendas de smartphones no Q1 2020 atingiram 29,2 milhões de unidades — aumento de 4,7% sobre 2019. Após a apresentação desse relatório financeiro, o presidente da Xiaomi e CFO em exercício, Wang Xiang, afirmou que a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) não teve grande impacto no mercado de smartphones. A maior explicação para isso é que, na verdade, o mercado já não vinha registrando mesmo um crescimento significativo — portanto, o pequeno declínio nesses tempos de crise não foi tão ruim como muitos esperavam.

Reprodução/Gizmochina

Ele afirmou ainda que a Xiaomi deve promover a popularização de smartphones 5G na China a partir deste mês, quando o setor nacional já espera uma discreta recuperação dos efeitos da COVID-19. “Nos mercados externos, a Xiaomi está em um estágio de desenvolvimento rápido. Embora nossa participação no mercado seja baixa, a companhia ultrapassou 10% pela primeira vez e atingiu 11,1%”, comemorou Xiang.

A grande estratégia da companhia nos próximos meses será explorar melhor suas subsidiárias, em especial a Redmi. “Usaremos as duas marcas Redmi e Mi para atender às necessidades dos clientes com preços diferentes. A Redmi se concentra na melhor relação preço-desempenho e plataforma de comércio eletrônico. Maximiza o desempenho do produto e o preço. Ela aloca outros projetos mais caros, mas se concentra nos indicadores rígidos e no desempenho do produto. A marca Mi também se concentra nas plataformas de comércio eletrônico para melhorar sua eficiência constantentemente”, comentou o executivo.

Fonte: Gizmochina  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.