Positivo registra prejuízo líquido de R$ 11,6 milhões no segundo trimestre

Por Carlos Dias Ferreira | 15 de Agosto de 2018 às 16h58
Divulgação
Tudo sobre

Positivo

Saiba tudo sobre Positivo

Ver mais

A Positivo Tecnologia apresentou recentemente seu relatório financeiro para o segundo trimestre de 2018, no qual aparece um prejuízo líquido de R$ 11,6 milhões — em contraponto ao lucro líquido de R$ 3,3 milhões registrado no mesmo período do ano passado. Segundo o documento, os números refletem aumentos nos custos de produção, com grande impacto dos preços de insumos (componentes e materiais utilizados para a fabricação), que são atrelados ao dólar.

Ainda que a receita da companhia tenha aumentado 11,4% em relação ao segundo trimestre de 2017 — com faturamento de R$ 485,1 milhões —, a desvalorização cambial do real em relação á moeda estadunidense ajudou a catapultar os custos de produção em 19,7%. Paralelamente, a companhia também viu suas contas a receber reduzidas de R$ 384 milhões, em 2017, para R$ 241 milhões neste ano.

Já a dívida líquida caiu de R$ 239 milhões para R$ 140 mihões ano a ano, embora os investimentos também tenham encolhido — representando um montante total de R$ 5,9 milhões entre os meses de abril e junho, em comparação com os R$ 12,3 milhões injetados no mesmo período do ano passado.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Computadores em alta, telefonia em baixa

O referido relatório também aponta a venda de 84 mil desktops e 188 mil notebooks durante o segundo trimestre de 2018. Trata-se de uma alta de 62,5% e 9,2% em relação ao mesmo período do ano passado, respectivamente.

Divisão de smartrphones da Positivo Tecnologia apresentou retração de 18,3%, com 203,8 mil unidades vendidas entre os meses de abril e junho (Imagem: reprodução/Positivo Tecnologia)

Já a divisão de telefonia móvel da companhia apresentou encolhimento de 18,3% na linha de smartphones das marcas Positivo e Quantum, com 203,8 mil unidades vendidas durante o período. Resultado semelhante também foi apresentado pelos tablets da marca, que venderam apenas 1,7 mil unidades, 60% menos do que em igual período de 2017 — reflexo da retração geral na demanda pelo formato, vale notar.

Em contrapartida, os chamados “feature phones” surgiram com bons resultados. Os intermediários entre celulares mais simples e smartphones da fabricante mostraram crescimento de 35% nas vendas entre abril e junho, com 187,7 mil unidades vendidas.

Fonte: Positivo Tecnologia

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.