Apple lucra US$ 7,8 bilhões no terceiro trimestre fiscal de 2016

Por Redação | 26 de Julho de 2016 às 19h14
photo_camera Divulgação

A Apple divulgou na tarde desta terça-feira (26) seus resultados financeiros referentes ao terceiro trimestre fiscal de 2016, finalizado em 25 de junho, quando a companhia totalizou uma receita de US$ 42,4 bilhões e lucro de US$ 7,8 bilhões (US$ 1,42 por ação diluída). No mesmo período do ano passado, os valores foram de US$ 49,6 bilhões e US$ 10,7 bilhões (US$ 1,85 por ação), respectivamente.

De acordo com a Maçã, a margem bruta no período foi de 38%, contra 39,7% há um ano, enquanto as vendas internacionais compreenderam 63% de todo o faturamento trimestral.

Quanto ao número de dispositivos vendidos, o iPhone continua sendo o principal gadget comercializado pela gigante de Cupertino: foram 40,4 milhões de unidades vendidas (queda de 15% ante ao ano anterior), gerando US$ 24 bilhões em receita (23% a menos do que em 2015). Em seguida vem o iPad, com 10 milhões de unidades (queda de 9%) e US$ 4,9 bilhões em receita (aumento de 7%); e o Mac, com 4,3 milhões de unidades (queda de 11%) e US$ 5,2 bilhões em receita (queda de 13%). A área de Serviços gerou US$ 6 bilhões em receita (aumento de 19%), e outros dispositivos ficaram com US$ 2,2 bilhões (queda de 16%).

"Estamos muito contentes em divulgar resultados do terceiro trimestre que refletem uma demanda forte de consumo e uma performance de negócios a qual antecipamos no início do trimestre", destacou o CEO Tim Cook. "Tivemos um lançamento muito bem-sucedido do iPhone SE e estamos felizes com a resposta de clientes e desenvolvedores aos softwares e serviços que apresentamos na WWDC em junho", completou.

"Nosso negócio de Serviços cresceu 19% ano a ano e a receita da App Store foi a maior da história, visto que a nossa base instalada continuou crescendo e nossos consumidores pagantes atingiram um novo recorde histórico", disse Luca Maestri, diretor financeiro da Apple. "Nós retornamos mais de US$ 13 bilhões a investidores através de recompra de ações e dividendos, e concluímos agora quase US$ 177 dos US$ 250 bilhões do nosso programa de retorno de capital", afirmou.

Esta é a segunda vez consecutiva que a receita da empresa caiu, juntamente com as vendas de seu carro-chefe, o iPhone. Os modelos atuais não conseguiram cumprir as metas de expansão, tanto por causa da desaceleração do mercado de celulares quanto pelo novo comportamento dos usuários, que estão mantendo seus aparelhos por mais tempo em vez de trocá-los anualmente. Além disso, a gigante de Cupertino enfrenta muitos concorrentes agressivos na China, onde a empresa tem perdido espaço para fabricantes locais, como Huawei e Xiaomi.

Para o quarto trimestre fiscal de 2016, a Apple prevê uma receita entre US$ 45,5 bilhões e US$ 47,5 bilhões e uma margem bruta entre 37,% e 38%. Os gastos operacionais devem ficar entre US$ 6,05 bilhões e US$ 6,15 bilhões, enquanto outras receitas devem atingir o valor de US$ 350 milhões. Já a taxa de impostos deve alcançar os 25,5%, segundo a empresa.

Fonte: Apple via 9to5Mac, The Wall Street Journal

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.