Twitter testa recurso que limita quem pode responder aos seus tuítes

Twitter testa recurso que limita quem pode responder aos seus tuítes

Por Douglas Ciriaco | 20 de Maio de 2020 às 15h50
Divulgação/Twitter

Se você sonhava com o dia em que poderia limitar quem pode interagir contigo em uma postagem do Twitter, pode reforçar as expectativas. Isso porque a plataforma começou a testar uma função que permite a cada usuário definir quem pode ou não responder aos tuítes postados na rede social.

Segundo publicação feita pela própria empresa em seu blog oficial, a ferramenta funcionará de um jeito bem simples e fácil de usar. Ao realizar uma postagem, o usuário terá à sua disposição três opções de públicos que podem responder ao conteúdo: todo mundo, apenas pessoas seguidas pelo autor e somente pessoas citadas na publicação.

Twitter já testa recurso que limita quem pode responder uma postagem sua na rede social (Imagem: Divulgação/Twitter)

Caso uma das duas últimas opções sejam escolhidas, o botão de responder a um tuíte aparecerá acinzentado (ou seja, indisponível) para quem não fizer parte do público restrito. Contudo, o Twitter informa que pessoas inabilitadas a responderem a postagem ainda poderão curtir e retuitar o conteúdo, inclusive com comentários.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Por enquanto, apenas um grupo limitado de pessoas usando o Twitter no Android, no iOS e na web tem acesso a essas configurações, mas qualquer pessoa pode visualizar as conversações realizadas desta maneira.

A mudança é marcante em termos de Twitter, mas não é algo novo neste setor. Vale lembrar que já há alguns anos o Facebook e o Instagram, por exemplo, permitem que as pessoas restrinjam o público que pode responder a uma de suas postagens.

Pessoas não habilitadas a responder ainda poderão ver, curtir e compartilhar as postagens públicas (Imagem: Divulgação/Twitter)

Bom ou ruim?

A preocupação, aqui, é de como ficariam perfis de grande alcance que por ventura compartilhem informações falsas ou equivocadas de forma restrita, impedindo a possibilidade de reposta direta por parte de outros usuários.

De qualquer maneira, o novo recurso parece dar um viés muito mais privado e menos tóxico ao Twitter, pois evita que pessoas indesejadas deixem respostas indesejadas para outros usuários na rede social.

Fonte: Twitter

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.