Quer ganhar NFTs de graça? O Twitter está distribuindo 140 deles

Quer ganhar NFTs de graça? O Twitter está distribuindo 140 deles

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 01 de Julho de 2021 às 17h15
Alveni Lisboa/Canaltech

Falando no Twitter, a rede social do passarinho resolveu distribuir 140 NFTs gratuitamente. A empresa postou uma série de sete tuítes sequenciais em que exibe essas peças de arte digitais, e cada uma das obras serão enviadas a 20 sortudos — uma baita adição para os colecionadores.

Para concorrer, é só responder a qualquer um dos tuítes desejados (ou a todos, se você quiser) e torcer muito para ser o escolhido. Aparentemente, não há regras nem nenhuma tarefa a ser cumprida: a rede está selecionando usuários de modo aleatório. Confira as imagens:

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

É claro que uma oferta assim deve atrair a atenção de milhares de pessoas em todo o mundo, por isso os ganhadores do sorteio podem se considerar felizardos de verdade. Os vencedores vão receber os NFTs por meio do site Rarible, especializado na venda de artes digitais. Esses tokens podem ser guardados ou comercializados, a depender do desejo do proprietário.

NFT dominando a rede

O Twitter afirma ter sido palco de mais de 29 milhões de posts sobre NFTs somente em 2021. O assunto permanece em alta e atraiu muita atenção do fundador da rede, um entusiasta das criptomoedas e da tecnologia blockchain — responsável por garantir a autenticidade do NFT. Falando nele, Jack Dorsey foi responsável por arrecadar US$ 2,9 milhões com o comércio do primeiro tuíte da história.

Os leilões multimilionários de NFTs têm mexido com o mercado de comércio de artes, design gráfico e itens de colecionador. Nos últimos meses, várias empresas e personalidades entraram na onda. É o caso do “Pai da Web”, Tim Berners-Lee, que leiloou o código original por US$ 5,4 milhões, e gênio de Harvard George Church, cujo código genético foi vendido também via token não-fungível.

Fonte: Twitter

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.