Quase 100 desenvolvedores têm acesso indevido a dados de grupos no Facebook

Por Claudio Yuge | 05 de Novembro de 2019 às 22h00
pixabay
Tudo sobre

Facebook

Saiba tudo sobre Facebook

Ver mais

Aconteceu de novo uma brecha de privacidade no Facebook. Ou melhor, ainda está acontecendo: a rede social admitiu que, mesmo após fazer bloqueios em seu sistema de Grupos a aplicações de terceiros no ano passado, quase 100 desenvolvedores continuam mantendo acesso indevido aos dados dos membros das comunidades. Uma postagem no próprio blog da rede social ainda confirma pelo menos 11 acessos essas informações nos últimos 60 dias.

Os administradores dos grupos do Facebook podem usar ferramentas de terceiros para gerenciar o que acontece nesses nichos, fornecendo aos aplicativos informações sobre suas atividades. Desde as mudanças no ano passado, que vieram justamente por conta de abusos como no caso Cambridge Analytica, os programadores não podem ver nomes de cada participante, fotos de perfil e outros detalhes não especificados.

(Imagem: Reprodução/Pixabay)

Entretanto, o chefe de parcerias do Facebook, Konstantinos Papamiltiadis, afirma que uma recente revisão de segurança descobriu que alguns utilitários ainda tinham esse acesso. Ele afirma que não há evidência de que essas pessoas tenham abusado essa brecha, mas diz que a companhia ordenou a todos que excluam qualquer material obtido indevidamente — e que realizará auditorias para confirmar que essas informações foram removidas.

Ainda não dá para saber exatamente se houve problemas

O Facebook não divulgou os nomes desses aproximadamente 100 desenvolvedores. Papamiltiadis diz apenas que eram "principalmente aplicativos de gerenciamento de mídia social e de streaming de vídeo, projetados para tornar mais fácil para os administradores de grupo gerenciar seus grupos com mais eficiência e ajudar os membros a compartilhar vídeos com seus grupos".

Também não dá para dizer exatamente quais informações estavam envolvidas além de nomes e fotos, nem quantos usuários e grupos os aplicativos serviram. Ou seja, as mesmas razões que causaram enormes problemas no caso Cambridge Analytica no passado continuam assombrando a rede social até hoje.

(Imagem: Reprodução/Pixabay)

Mark Zuckerberg, que já recebeu recentemente uma “fritada” da deputada Alexandria Ocasio-Cortez em uma das suas visitas programadas para se explicar no Congresso estadunidense, terá ainda mais o que falar na sua próxima sessão de explanações junto aos parlamentares.

Fonte: The Verge, Facebook  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.