O que esperar da F8, conferência do Facebook que acontece nesta semana

Por Wagner Wakka | 30 de Abril de 2018 às 15h26
TUDO SOBRE

Facebook

A F8, conferência anual do Facebook voltada a desenvolvedores, começa amanhã (1º) em São José, na Califórnia. A nona apresentação da empresa começa pela primeira com um tom diferente, por esta ser a primeira vez em que Mark Zuckerberg vai subir ao palco após o escândalo da Cambridge Analytica, oriundo do uso indevido de dados de contas de mais de 87 milhões de usuários do Facebook.

Assim, é de se esperar o CEO da empresa traga novidades sobre privacidade na plataforma. Soma-se a isso o fato de que tanto os governos norte-americanos e europeus já estão se movimentando para propor leis que dão mais controle aos usuários sobre o uso de suas próprias informações.

Nos Estados Unidos, já está em andamento um projeto de lei chamado CONSENT Act, uma sigla para Customer Online Notification for Stopping Edge-provider Network Transgressions ("Notificação online ao usuário para evitar transgressão de provedores de rede", em tradução livre). Aqui, o governo do país passa a exigir que empresas tenham consentimento explícito de usuários para usar seus dados.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Já a Europa vai colocar em prática no próximo mês o General Data Protection Rules (GDPR) (ou "Regras Gerais para Proteção de Dados", em tradução livre), com uma série de normas que empresas digitais precisarão seguir.

Outro grande ponto que deve ser tratado no evento desta semana são as fake news e discurso de ódio na rede social. Em depoimento ao Senado neste mês, Zuckerberg foi bem claro ao dizer que “as eleições nacionais são prioridade para a plataforma”. Recentemente, a empresa tem mostrado uma série de ferramentas para melhorar a qualidade das informações compartilhadas na rede social. Além disso, Zuckerberg recentemente assumiu a postura de que a inteligência artificial não é capaz de lidar sozinha com problemas de discurso de ódio na rede social, e, por isso, conta com uma equipe humana para lidar com essas questões. Com isso, a empresa tem anunciado parcerias com profissionais  de checagem de fatos, como a Agência Lupa aqui no Brasil.

Vamos falar de coisa boa?

Embora a quantidade de informações negativas estejam recaindo sobre os ombros da empresa, não é só de problemas que o Facebook vive. A expectativa é de que Zuckerberg fale também sobre as mudanças no feed de notícias. No início do ano, a rede social passou a priorizar posts de familiares e a preterir publicações de empresas e marcas. Como o F8 é uma conferência voltada a programadores, é uma oportunidade para a companhia divulgar mais detalhes sobre como este novo algoritmo funciona de verdade.

Outro assunto que deve surgir é sobre a popularização dos vídeos na plataforma e novas ferramentas que devem surgir em breve para estimular a mídia na rede social, sobretudo quando se trata de transmissões ao vivo. Com o YouTube enfrentando problemas constantes, não seria surpresa se o Facebook aproveitasse esta oportunidade para melhorar ainda mais a publicação de vídeos na plataforma, tanto no Feed de Notícias, quanto no Watch (plataforma de vídeos do Facebook que ainda não chegou ao Brasil).

Além da rede social

A conferência também deve tratar de assuntos de outras propriedades do Facebook, como o WhatsApp. Em relação ao mensageiro, a empresa enfrenta problemas semelhantes aos da rede social, associados a fake news. Atualmente, uma pesquisa revelou que o WhatApp é o principal propagador de notícias falsas no Brasil.

Já para o Instagram, a conferência deve mostrar algumas ferramentas que estão em fase de testes e que devem ser implementadas no aplicativo em breve. Por exemplo, alguns usuários já passaram a ter a opção de silenciar um perfil na rede social.

Por fim, esperam-se novidades sobre o Oculus Go, o headset da Oculus, empresa comprada pelo Facebook. Anunciado em outubro do ano passado, ainda não se tem muitas novidades sobre o produto. O que se sabe é que o aparelho será standalone, ou seja, não precisa de outro aparelho para funcionar, nem um computador, nem um celular. O Go foi divulgado com a promessa de ser "o headset de VR mais acessível da história", de acordo com Zuckerberg. Na Game Developer’s Conference em março deste ano, a empresa levou um modelo para testes, que foi bem recebido pela crítica. A Oculus também está trabalhando em um novo aparelho, chamado Project Santa Cruz, que deve ser relevado em breve.

A F8 começa nesta terça (1º) e vai até a quarta-feira (2).

Fonte: Engadget

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.