Messenger libera criptografia de ponta a ponta para chats e chamadas em grupo

Messenger libera criptografia de ponta a ponta para chats e chamadas em grupo

Por Igor Almenara | Editado por Douglas Ciriaco | 27 de Janeiro de 2022 às 15h40
Reprodução/Meta

Finalmente, o Messenger do Facebook teve a segurança reforçada por criptografia de ponta a ponta para conversas em grupo e chamadas de voz. O recurso, disponível para os chats de forma opcional, entrou em testes no ano passado, mas enfim está disponível para todos os usuários do mensageiro, sem tantas restrições como na Sala secreta.

A novidade, que começou a ser distribuída nesta quinta (27), incrementa a segurança para as mensagens trocadas em conversas, impedindo que sejam interceptadas por criminosos, empresas ou autoridades. Como o nome do recurso sugere, as mensagens são cifradas de forma automática (seja numa conversa privada, seja em grupo) e só é possível decifrá-las com as chaves designadas para cada conta que participa da conversa.

Atualmente, existem duas formas de ativar a criptografia de ponta a ponta no Messenger: a primeira delas é ativando as mensagens autodestrutivas, que somem após um determinado período; a segunda, é nas conhecidas “Salas secretas”, em que o papo também se destrói automaticamente, mas boa parte dos recursos (como GIFs e vídeos) estão indisponíveis.

Mais segurança, sem restrições

Além de ser mais uma alternativa para proteger a troca de mensagens, a ativação das mensagens autodestrutivas não tem recursos a menos — dá para mandar GIFs, vídeos, stickers e reações à vontade. Inclusive, o app também dedura quem tira prints da conversa quando o modo está ativado.

Habilitar a novidade é bastante simples: na extremidade inferior da janela, onde estão as mensagens mais recentes, arraste para cima até o modo de autodestruição aparecer, ou toque no ícone de cadeado ao abrir uma nova conversa — neste caso, para abrir uma Sala secreta.

Para assegurar que a conversa é segura e chega somente no celular dos colegas envolvidos, a chave de criptografia pode ser verificada app celular do destinatário, assim como acontece no WhatsApp.

Não é igual ao WhatsApp

Vale ressaltar que, apesar de oferecer proteção equivalente à criptografia presente no "Zap", a adição recente do Messenger não é ativada por padrão e, por isso, as conversas comuns do app continuam desprotegidas. A camada de segurança que unificará toda a plataforma enfrenta problemas na implementação e tem lançamento previsto somente para 2023.

A atualização do mensageiro deve ser distribuída gradativamente entre usuários. Se você tem o app baixado no celular, vale conferir se há downloads pendentes na Play Store e na App Store. Na versão web para PC, não é necessário baixar nada para ativar a proteção.

Fonte: Meta

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.