Resultados do Facebook mostram que 62% de toda receita de publicidade já é móvel

Por Redação | 24 de Julho de 2014 às 08h10

O Facebook divulgou no final da tarde desta quarta-feira (23) os resultados financeiros para o segundo trimestre do seu ano fiscal de 2014, com lucros de US$ 2,91 bilhões e US$ 0,42 de ganho por ação (EPS). No mesmo período do ano passado, a empresa havia registrado resultados de US$ 1,81 bilhão, o que significou um crescimento de 61% na receita.

O crescimento do site no trimestre surpreendeu estimativas de Wall Street, que previam um lucro de US$ 2,81 bilhões e US$ 0,32 EPS.

"Tivemos um bom segundo trimestre. Nossa comunidade continua a crescer e vemos muitas oportunidades à frente conforme conectamos o resto do mundo", escreveu o CEO da empresa, Mark Zuckerberg, no documento.

O maior destaque dos resultados, no entanto, é o desempenho da plataforma mobile da rede social, que já é responsável por 62% de toda a receita com publicidade. No mesmo trimestre do ano passado, a receita móvel correspondia a 41% de toda publicidade. A velocidade de crescimento de receitas móveis já é duas vezes maior que outras plataformas.

Os números mostram algo que há algum tempo já é observado pelo Facebook: a base móvel é, sim, a mais importante. Do total de 1,32 bilhão de usuários, 391 milhões são considerados exclusivamente móveis.

O número é bem superior aos 240 milhões de usuários exclusivamente desktop. No total, o Facebook já tem 1,05 bilhão de usuários móveis por mês – com um retorno diário de 63% deles.

Comparado com o primeiro trimeste do ano fiscal, o crescimento da base de usuários foi de 3,125%. A contagem diária de usuários subiu 3,36% desde o trimestre passado, de 802 milhões para 829 milhões. Ano a ano, o crescimento foi de 19%.

Só nas plataformas móveis, o crescimento foi de 5,9% no trimestre, com um aumento de 7,4% de engajamento diário, de 609 milhões para 654 milhões. Em relação ao Q2 de 2013, o crescimento foi de 39%.

O site viu um crescimento até em regiões onde supostamente estava perdendo usuários, como os Estados Unidos e Canadá - e nesses lugares, ganhou 2 milhões de usuários mensais.

Do outro lado da moeda, o site viu uma pequena queda nas receitas de pagamentos dentro do Facebook, em plataformas de e-commerce ou web games – de onde o site fica com 30% do valor. Em relação ao trimestre anterior, a receita observou uma pequena queda de US$ 237 milhões para US$ 234 milhões.

Atualização (24/07):

Nesta quinta-feira, as ações do Facbook bateram um novo record histórico, subindo 6,7% para US$ 76,03 na abetura da bolsa de Nova York, Dow Jones. O record anterior tinha sido de US$ 72,59, em barço deste ano.

Nos últimos doze meses, as ações da rede social subiram 173%, de acordo com dados compilados pela Bloomberg. Nos últimos 30 dias, as ações do Facebook também foram uma das mais ativas na bolsa, com 42 milhões de transações sendo realizadas. O site ficou atrás apenas dos volumes do Bank of América e da Apple.

De acordo com declarações do novo CFO, David Wehner, os resultados positivos do Facebook foram obtidos pois empresas investem cada vez mais em promoções de posts de melhor qualidade na rede social. Em relação ao ano passado, o preço médio de uma publicidade no Facebook mais que dobrou.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!