Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

X-Men: quais são as quatro classes oficiais de poderes mutantes?

Por| 30 de Janeiro de 2022 às 11h00

Link copiado!

Marvel Comics
Marvel Comics

Os mutantes da Marvel Comics sempre exerceram muito fascínio, não somente entre os fãs, como também entre os criadores e na comunidade de superseres da Casa das Ideias. Isso porque as próprias características evolutivas tornam seus poderes tão admiráveis quanto perigosos — e muitas vezes é difícil compreender a extensão desses dons genéticos, que também podem ser encarados como maldições.

E com quase 60 anos de história nos quadrinhos, alguns padrões podem caracterizar melhor em que nível de poder os personagens se encaixam — seja no momento em manifestaram suas habilidades ou em que patamar podem ser nomeados, de acordo com as referências já vistas. E isso ganha ainda mais atenção quando um dos homo superior é definido como um dos mutantes mais poderosos de todos os tempos.

Continua após a publicidade

Como na recente edição X-Men #7, lançada nesta semana, vimos o reconhecimento oficial de um dos mutantes mais poderosos de todos os tempos, classificar as quatro classes atualmente conhecidas nos ajuda a compreender o que esses personagens são capazes de fazer.

Com a ajuda do Newsarama, vamos te mostrar o que a Marvel Comics já classificou ao longo dos anos, em um sistema que não pode ser resumido a simples números sobre velocidade ou peso máximo alcançado. Essa definição usa há décadas o alfabeto greto e sempre é atualizada ao longo de novas fases — e estamos em um período de revisão, devido à revolução causada pelo roteirista Jonathan Hickman.

Revisão recente das classes de mutantes em X-Men

Até pouco tempo atrás, o sistema de classificação mutante não era muito bem definido. Apenas sabíamos que “Alpha” ou “Ômega” eram usados para os mais poderosos, mas de uma forma uma pouco confusa. Normalmente eram termos utilizados nas histórias pelos próprios X-Men, pela SHIELD ou pelos Vingadores, pelo Império Shi’ar ou outros grupos.

Na fase de Hickman, algumas coisas confusas do passado vêm ganhando melhor definição, assim como incongruências narrativas ou inconsistências cronológicas. Desta forma, nessa era “Krakoana”, em que os mutantes estão todos reunidos em uma ilha-nação, o sistema de classificação mutante foi revisado e oficialmente apresentado em 2019, durante o arco Alvorecer do X (ou Dawn of X).

Agora, os mutantes de nível Ômega são, oficialmente, dentro do cânone Marvel, “um mutante cujo poder dominante é considerado para registrar — ou atingir — um limite superior indefinível da classificação específica desse poder". Isso está na página de dados da fase Dinastia X (ou em House of X #1).

Os termos de classificação levam em consideração o conjunto de poderes — vários mutantes possuem habilidades diferentes, em níveis distintos, sejam os que manifestaram inicialmente ou apresentaram e evoluíram ao longo da vida. Por exemplo, Jean Grey pode ser uma telepata Ômega, mas também possui telecinese em uma faixa mais baixa. Ainda assim, ela pode ser denominada Ômega, mesmo sem contar com todos os seus dons no mesmo nível.

Continua após a publicidade

Meio complicado né? Bem, as quatro classificações oficialmente estabelecidas recentemente ajudam a entender isso melhor.

X-Men: Classificação mutante nível Epsilon

Essa é a faixa mais baixa, em que normalmente ficam os poderes mutantes não combativos. Em vários casos são mutações físicas que não conferem habilidades especiais. Em outros, são dons sem grande uso prático quando comparados com a maioria.

Continua após a publicidade

Um exemplo de nível Epsilon é o personagem Artie Maddicks. Sua capacidade de projetar hologramas não é classificada. Então, todos que se encontram nessa situação podem ser considerados na mesma faixa.

X-Men: Classificação mutante nível Beta

Já esta faixa apresenta mais utilizada na comunidade Krakoana, mesmo de forma muito discreta. Os primeiros dias de Vampira como vilã, quando ela apenas absorveu memórias e poderes de Carol Danvers (que na época era Ms. Marvel, e não a Capitã Marvel que conhecemos), é um bom exemplo.

Continua após a publicidade

Por muito tempo, Vampira não teve controle sobre esse dom, o que a prejudicava, assim como outras pessoas. Para ter um paralelo, Gambit, seu recorrente parceiro, poderia ter problemas semelhantes ao tocar qualquer objeto quando era um Beta — as coisas explodiriam ao seu simples toque. Mas ele pode ser considerado um Alpha desde sua primeira aparição, porque controla esse poder.

X-Men: Classificação mutante nível Alpha

Os mutantes presentes nesta faixa possuem habilidades que podem ser aplicadas de forma mais prática e controlada, dentro de um limite que sejam mais úteis do que prejudiciais. Um bom exemplo é Ciclope, que pode emitir raios de seus olhos, mas não em sua dispersão total, pois ele não é capaz de utilizar todo o potencial sem que se esgote ou destrua tudo ao seu redor de maneira desajeitada.

Continua após a publicidade

Vale destacar que um Beta pode se tornar Alpha ao longo de sua evolução. Vampira, por exemplo, aprendeu a controlar melhor seus poderes após os eventos do arco Complexo de Messias. Então, ela pode ser um exemplo de redefinição para Alpha.

X-Men: Classificação mutante nível Ômega

Essa é categoria mais elevada, pelo menos na atual e revisada classificação oficial. De acordo com a explicação dada por Hickman em Dinastia X, um mutante Ômega pode ser exemplificado da melhor forma na comparação entre Magneto e Forge. Abaixo está o texto exibido em House of X #1.

“Tanto Magneto quanto Forge são os mutantes mais poderosos de seus tipos de poder no planeta Terra (magnetismo e tecnopatia, respectivamente). Mas o que faz Magneto, e não Forge, um mutante de nível Ômega é que o limite superior dos poderes mensuráveis ​​de Forge poderia, hipoteticamente, ser superado (e, de fato, por vários humanos no planeta); enquanto o limite superior dos poderes de Magneto não pode ser superado de forma mensurável."

Continua após a publicidade

No entanto, como dito anteriormente, podem haver vários mutantes de nível Ômega para um tipo específico de poder — e não exatamente para o conjunto. Exemplos disso seriam Jean Grey e Quentin Quire, que se qualificam como telepatas de nível Ômega.

X-Men: Quantos mutantes nível Ômega existem?

De acordo com a atual continuidade dos X-Men, existem atualmente 25 mutantes de nível Ômega: Monarca (Jamie Braddock), Homem de Gelo, Elixir, Jean Grey, Legião, Magneto, Proteus, Mister M, Tempestade, Êxodus, Quentin Quire, Vulcano, Hope Summers; e os recentemente introduzidos Isca (a Imbatível), Tarn (o Indiferente), Idyll, Genesis, Redroot, Ora Serrata (a Testemunha), Stulgid, Lodus Logos (o Conhecedor), Sobunar das Profundezas e Xilo, o Primeiro Defensor.

Continua após a publicidade

Vale destacar que vários mutantes não estão classificados como Ômega, mas podem apresentar habilidades dessa faixa, a exemplo do Homem de Gelo, que em muitas ocasiões apresenta capacidades dignas de um deus. E alguns, como Cable, aprimoraram seus dons o suficiente para estar nesta graduação.

Curiosamente, o Professor X não foi incluído na lista oficial, assim como Moira MacTaggert, que se revelou uma mutante com poderosa habilidade de reencarnação. Ou seja, há muitos segredos sobre essa classificação, muitos deles guardados com o próprio Charles Xavier — e, claro, com os arquitetos da Casa das Ideias.