Publicidade

The Boys x Liga da Justiça? Criador revela que série fazia parte do Universo DC

Por| 01 de Fevereiro de 2024 às 18h00

Link copiado!

Dynamite Entertainment
Dynamite Entertainment

A essa altura, você já deve conhecer uma série de super-heróis do Amazon Prime Video conhecido pela ultraviolência e pelo humor sarcástico, chamada The Boys. Nos quadrinhos, o teor era ainda mais “proibidão” — sério mesmo —, e, ainda assim, os planos originais incluíam um crossover com a Liga da Justiça. “Como assim?” Pois é, originalmente, a criação de Garth Ennis e Darick Robertson fazia parte do Universo DC.

Voltemos para o ano de 2006, quando o artista Jim Lee se tornou diretor criativo da DC Comics e levou seu estúdio, o WildStorm, que fazia parte da Image Comics, para a empresa de Batman, Superman, Mulher-Maravilha e outros. E, claro, ele também levou suas criações e projetos em andamento, incluindo WildC.A.T.s, Stormwatch, Authority e… The Boys, que, na época, era ainda um trabalho em andamento.

Como The Boys fazia parte de um selo menor dentro da DC Comics, os executivos da companhia demoraram a perceber que as histórias faziam uma paródia pra lá de "proibidona" da Liga Justiça. E muitas sequências do gibi apresentava temas de gosto duvidoso, que desafiavam o bom senso — basta dizer que nas HQs há cenas bem mais pesadas, que incluem pedofilia e amplo uso de substâncias em cenas de nudez explícita. 

Continua após a publicidade

Quando os chefões da DC realmente se deram conta do que se tratava, The Boys já estava na edição número seis. O título foi banido da editora, e os autores tiveram que continuar a história, com suas 72 edições e a minissérie Herogasm, em outra empresa, a Dynamite Entertainment. 

Só que, o que muita gente só soube recentemente, é que The Boys também fazia parte do Universo DC; e havia até planos para um encontro com a Liga da Justiça.

Garth Ennis revela o crossover

Continua após a publicidade

A adaptação para a TV teve muitos momentos atenuados e recebeu uma boa atualização das tramas, o que a tornou até mais divertida e palatável que o material original. The Boys se tornou um dos carros-chefes da plataforma de streaming Amazon Prime Video, e, com isso, muita gente foi atrás dos gibis lançados em meados de 2000.

Assim, a Dynamite Entertainment resolveu caprichar em novas impressões, com edições no formato “Omnibus”, ou seja, com papel especial e modelo de luxo, além de muito material extra. E foi justamente em um desses bônus que os fãs puderam ver qual era a proposta original de Ennis e Robertson para The Boys.

Ennis revelou que o projeto, antes de ser executado, foi, claro, bastante discutido com a DC Comics; e que, originalmente, a editora queria que Butcher e outros personagens principais fizessem referências aos ícones estabelecidos no Universo DC — algo que o próprio escritor considerou “uma péssima ideia”, pois, claro, ele já sabia o que viria pela frente.

Continua após a publicidade

“Também removi uma ou duas referências a personagens existentes, um legado de um pedido editorial inicial de que a série fosse capaz de cruzar com o universo de super-heróis da própria empresa: uma ideia muito ruim que logo caiu no esquecimento”, diz Ennis, na edição Omnibus de The Boys.

Ou seja, na versão de pré-apresentação do projeto de The Boys aos executivos da DC, a ideia era de que o título já plantasse algumas referências do Universo DC, para um futuro confronto dos personagens com a Liga da Justiça, por exemplo. 

Mas, como dito, depois que a série já estava em andamento, na sexta edição, os executivos perceberam que realmente seria uma “péssima ideia”. Aí já era tarde demais, mas… de qualquer forma, felizmente, o material de Ennis conseguiu sobreviver ao banimento e está vivo para contar esse episódio peculiar de sua vida editorial.