Publicidade

Star Wars estreia facção de dróides com escudos que repelem a Força

Por| 17 de Julho de 2023 às 19h36

Link copiado!

Marvel Comics
Marvel Comics

Muito do que acontece nos quadrinhos de Star Wars na Marvel traz novos elementos que nunca ouvimos falar na trilogia original da Saga Skywalker. Mas fica bastante claro que essa é uma forma de preencher lacunas e, principalmente, estabelecer precedentes que possam ser explorados nas próximas histórias da franquia. E isso acaba de acontecer na mais recente edição de Star Wars: Darth Vader.

Atenção para spoilers de Star Wars: Darth Vader #36!

Em Star Wars: Darth Vader #36, um grupo de dróides destruídos por Darth Vader, consegue se unir e se recuperar, tornando-se novamente completamente operacional. A nova facção, chamada de Dark Droids, quer se vingar do Lorde Sith e aproveita as ondas de energia que têm causado instabilidade em todo o universo após a abertura da Fermata Cage (ou Gaiola Fermata).

Continua após a publicidade

A Gaiola Fermata é uma arma criada pelo Lorde Sith Darth Momin na Era Imperial, e que pode usar buracos negros em miniatura para congelar momentos do fluxo temporal e suspender pessoas ou lugares em algum lugar to tempo. Ela foi usada em uma tentativa frustrada de prender Palpatine e Darth Vader — falaremos sobre isso outra hora.

Pois bem, a abertura da Gaiola Fermata causou um distúrbio na Força, e seus usuários passaram a experimentar por estágios de completo preenchimento de energia, alternados por outros em que ,se sentem desligados da conexão. E esse é o momento ideal para os Dark Droids atacar, já que Darth Vader também passar por essa instabilidade.

Como são os escudos dos Dark Droids que podem repelir a Força?

O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Para controlar os momentos em que está cheio da Força, Vader recuperou uma arma conhecida como Escudo Zaly, que é feito de kyberite, um mineral que vêm dos cristais responsáveis por canalizar a Força nos sabres de luz dos Jedi.

O kyberite pode tanto repelir a energia da Força, como concentrá-la e redirecioná-la. Como cada dróide que fez parte dos Dark Droids um dia foi reprogramado pelo próprio Vader para ser membro de seu exército pessoal, agora, eles retornam com os mesmos Escudos Zaly que receberam anteriormente — ou seja, Anakin Skywalker está diante de uma armada capaz de usar seus poderes contra ele mesmo.

Para piorar, há uma ameaça ainda maior, especialmente para Vader: o Flagelo, um autômato senciente que viaja pelo cosmos tentando infectar todos os dróides e ciborgues, com o objetivo de formar uma mente coletiva para dominar a galáxia a partir de formas de vida orgânicas.

Continua após a publicidade

Como Vader tem muitas partes biônicas em seu corpo, e pode até ser considerado um ciborgue, ele, então, corre sério risco, pois o Flagelo tem o poder para controlar sua mente — uma tarefa quase impossível, mas não tanto se pensarmos que os Dark Droids podem usar seus escudos de kyberite para esgotar Anakin. Se isso acontecer, essa espécie de “vírus maligno” teria acesso à Força, o que representaria o fim da galáxia.

Sabemos que Vader viveu para contar história, contudo, o interessante das HQs de Star Wars na Marvel é justamente ver como os principais personagens da Saga Skywalker sobreviveram e por que eventos, objetos e outros elementos tão importantes sumiram ao longo do tempo.

Na próxima edição de Star Wars: Darth Vader, a batalha entre Vader e os Dark Droids continua, assim como a chegada o Flagelo. E, desde já, esses novos vilões abrem um precedente para que eles retornem na nova fase de Star Wars nos cinemas — e, claro, essas forças poderosas podem voltar até aprimorados.