Nova HQ do Justiceiro vem para desassociar símbolo do personagem a extremistas

Nova HQ do Justiceiro vem para desassociar símbolo do personagem a extremistas

Por Márcio Padrão | Editado por Claudio Yuge | 21 de Dezembro de 2021 às 21h40
Reprodução/Marvel

Um dos anti-heróis mais controversos da Marvel, o Justiceiro é um dos raros que frequentemente quebra o código de ética dos mocinhos ao matar, ferir mortalmente ou torturar seus oponentes. Muito por isso, tornou-se um dos personagens mais queridos de grupos extremistas e simpatizantes. Agora a Marvel traz uma minissérie para tentar reverter essa situação.

Punisher, nova série limitada em 13 edições escrita por Jason Aaron e desenhado por Jesús Saiz e Paul Azaceta, traz a seguinte sinopse:

Como o Justiceiro, Frank Castle tornou-se o assassino mais talentoso que o mundo já viu. Depois de um segredo chocante o empurra para se tornar o senhor da guerra do Tentáculo, ele agora serve a Besta, um papel que ele tem sido fadado a cumprir. Tragédia, guerra e raiva se unem enquanto ele pega sua espada e sua nova armadura com o mais notório clã de assassinos do Universo Marvel. Significará um fim para o Justiceiro? Ou um novo começo sangrento?

O texto dá a entender que o personagem estará a serviço de um demônio — o que deve contrastar com o perfil do público mais conservador — e parte de um grupo de assassinos malignos. Agora ele empunha uma espada, usa armadura e ganhou um novo logotipo de caveira em seu peito, para simbolizar seu novo "patrão".

Isso denota a intenção da Marvel de afastar o Justiceiro do mundo "real", onde costuma assassinar mafiosos e criminosos comuns, e aproximar o personagem do fantástico — algo que já aconteceu outras vezes na Marvel, vale ressaltar.

Cena da nova minissérie do Justiceiro (Imagem: Reprodução/Marvel)

Outro ponto aqui é que Frank Castle não precisa mais ser visto como um cara "do lado do bem" ainda que com métodos questionáveis, pois agora ele claramente está do lado dos "caras maus". Veja o que Aaron diz sobre o novo arco:

"Depois de escrever o Justiceiro ao longo dos anos, sempre fui fascinado pelo personagem de Frank Castle. Que momentos fizeram dele o Justiceiro, mesmo antes daquele fatídico dia no parque? E até onde ele irá para vencer a guerra que consumiu sua vida? Spoiler: até onde é preciso. Esta história é o próximo passo destinado na evolução sombria e trágica de Frank Castle, de garoto problemático a soldado heroico a vigilante orientado pela vingança... para o rei devidamente ungido dos assassinos", disse o autor no comunicado da Marvel.

Claro que as sinopses enganam e pode ser que haja motivações ou consequências ainda desconhecidas sobre esse novo rumo na vida do Justiceiro. Mas as pistas indicam que a Marvel segue incomodada com a pecha de "mito" de Frank Castle e quer tirar as linhas éticas cinzentas que sempre definiram o personagem. Pelo menos até a próxima reformulação.

Justiceiro obriga policiais a não seguirem seus métodos (Imagem: Reprodução/Marvel)

Indireta da Marvel

Em 2019, na edição nº 13 da série de HQ anterior do anti-herói, a Marvel deu um recado duro aos extremistas que usam o personagem como exemplo. Castle aparece em uma cena dialogando com policiais que dizem se inspirar nos seus métodos de vigilantismo para combater o crime.

Irritado ao ver sua marca da caveira adesivada em uma viatura, ele a rasga e diz: "Só direi uma vez: não somos iguais. Vocês juraram seguir a lei. Vocês ajudam pessoas. Eu desisti disso há muito tempo. Vocês não fazem o que eu faço. Ninguém faz. Querem um modelo? Seu nome é Capitão América, e ele ficaria feliz em tê-los ao seu lado".

Fonte: Gizmodo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.