Dark Crisis | Nova saga da DC pode estrear multiverso inteiro conectado ao Flash

Dark Crisis | Nova saga da DC pode estrear multiverso inteiro conectado ao Flash

Por Claudio Yuge | 15 de Junho de 2022 às 22h40
DC Comics

A ideia de vários mundos alternativas situados em universos paralelos e/ou diferentes linhas temporais está na moda nos cinemas, graças à Fase 4 do Universo Cinematográfico Marvel (MCU, na sigla em inglês). Mas que lê os quadrinhos há algum tempo sabe que isso é comum nas principais editoras de super-heróis do mundo faz tempo, especialmente na DC Comics. E, agora, a mais nova saga decenauta, Dark Crisis, dá indícios de que as tramas de Batman e cia. podem ganham em breve um multiverso conectado especialmente ao Flash.

Atenção para spoilers sobre a saga Dark Crisis!

Em Dark Crisis, saga atual da principal cronologia da DC Comics, os principais heróis da Liga da Justiça morreram, em um ataque orquestrado pelo Pária e seu Exército das Trevas, que conta com ninguém menos que vilões da estatura de Darkseid, Eclipso, Apocalypse, Nekron, Neron e Ares. Esse grupo, assassinou Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Zatanna, Aquaman, Mulher-Gavião, Caçador de Marte e o Lanterna Verde John Stewart — os detalhes sobre o evento todo deixamos para um especial do Canaltech em um dos próximos domingos.

É claro que os heróis não estão definitivamente mortos, mas fato é que a principal Terra dos Multiversos da DC vive o luto de seus ícones, enquanto a Liga da Justiça tem que se virar com seguidores do legado. O Superman Jon Kent e o Flash Wally West, ao lado do Asa Noturna, tentam liderar a nova equipe, que recebe o reforço de um dos únicos veteranos remanescentes, o Lanterna Verde Hal Jordan.

Homenagem da comunidade heróica aos mortos da Liga da Justiça em Dark Crisis #1 (Imagem: Reprodução/DC Comics)

Tudo isso acaba de acontecer na estreia da saga, lançada neste mês, e que deve seguir trazendo esse “mundo sem Liga da Justiça” até o final deste ano. E, ainda na primeira edição, já temos um “spoiler” vindo da própria divulgação de Dark Crisis #4, que deve chegar às bancas gringas em setembro.

A sinopse diz o seguinte:

Testemunhe o nascimento do novo DC Multiverse! Diretamente das páginas de The Flash, os heróis aprendem o segredo dos novos mundos de Pária. Mas a que custo esse conhecimento vem e o que eles podem fazer com essa informação? Pior ainda, talvez Pária e a Grande Escuridão queiram que eles saibam...? Na Terra-0, o Exterminador continua avançando com seus planos de apagar o legado heroico de uma vez por todas, enquanto Jon Kent, Asa Noturna e o grupo desorganizado de jovens se reúnem para enfrentar o número crescente de desafios. O evento do ano continua!

A Grande Escuridão é ainda uma ameaça misteriosa que vem espreitando os Multiversos DC após o final de Noites de Trevas: Death Metal e, embora o Flash (ou os Flashes) não sejam citados na sinopse, há um grande destaque para o Velocista Escarlate em Dark Crisis #4. E como a edição adianta um “Novo Multiverso DC”, já ficam especulações sobre um multiverso especialmente conectado ao corredor.

Capa variante de Dark Crisis #4 (Imagem: Reprodução/CBR)

Vale lembrar que Barry Allen está “perdido” em um dos Multiversos da DC. E como o Flash sempre teve trânsito entre as várias Terras paralelas e a Força da Aceleração é conectada a linhas temporais, tudo leva a crer que teremos um novo conceito sobre tempo e espaço na DC a partir desse novo “Multiverso Flash”.

Dark Crisis se dedica ao legado e à ascensão da “velha guarda”

Claro que ainda há muita coisa para ser revelada, mas tudo o que vem acontecendo até agora na DC Comics, incluindo esse “novo Multiverso Flash”, aponta para um passo adiante na expansão do legado e na transformação dos heróis clássicos em “lendas”.

Isso porque os heróis clássicos aos poucos vêm dando lugar para seus seguidores. Clark Kent deixou a Terra para assumir um papel maior na defesa da liberdade em toda a galáxia, enquanto Jon Kent é atualmente o Superman de nosso planeta. Bruce Wayne vem deixando Gotham City, que não mais o vê como seu defensor de outras épocas, enquanto Tim Fox se torna o novo Batman. Diana Prince se tornou uma entidade cósmica, substituída por Nubia e Yara Flor.

Capa de Dark Crisis #0 (Imagem: Reprodução/DC Comics)

Fica claro que os planos da DC é promover os novos heróis de legado para uma nova geração, que pode se conectar melhor à diversidade e representatividade; às motivações de personagens que vestem os mesmos trajes icônicos — mas que dão voz a uma leva mais jovem de leitores.

Mas, e como ficam os heróis da “velha guarda”? Bem, assim como aconteceu com Diana Prince, a DC pode promover seus mais icônicos personagens a um patamar nunca visto, de “lendas”, de seres que alcançariam um status acima dos mortais.

“Como” e “se” isso realmente vai acontecer, é o que veremos, até porque o aspecto humano desses heróis é o que atrai tanto os leitores. Entretanto, a DC já flerta com a possibilidade de transformar seus ícones em deuses de uma mitologia similar à greco-romana há tempos — e, agora, pode ser que isso se concretize, após os eventos de Dark Crisis.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.