Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Conheça a HQ que virou ícone feminista e inspirou a banda Gorillaz

Por| 27 de Outubro de 2023 às 16h52

Link copiado!

Dark Horse Comics
Dark Horse Comics

Você provavelmente já ouviu alguma canção da banda Gorillaz, a exemplo de hits como DARE e Clint Eastwood, e certamente conhece os personagens que servem como alter-ego para músicos como Damon Albarn (Blur), Del the Funky Homosapien e Mike Jones (The Clash), entre outros. E o que muita gente não sabe é que um dos membros fundadores é o cartunista Jamie Hewlett, criador de uma HQ que virou símbolo do empoderamento feminino nos anos 1990 com a personagem Tank Girl.

Tank Girl foi criada em 1998 e logo se tornou um clássico instantâneo. A começar pela protagonista, uma garota cheia de atitude e questionadora de tabus e valores arcaicos, especialmente sobre o papel da mulher na sociedade, em uma época em que os movimentos feministas começavam a reclamar mais direitos e protagonismo em todas as esferas.

O design dos personagens e os traços do ilustrador Jamie Hewlett foram fundamentais para dar vida a uma garota que mora em um tanque de guerra e desafia dogmas, convenções sociais ultrapassadas, desigualdade, misoginia e autoritarismo, em um mundo pós-apocalíptico. Além de desenhos cartunescos e estilizados cheios de detalhes criativos, o artista sempre quebrava as regras da narrativa convencional e abusava de técnicas surrealistas e de colagem, em uma abordagem próxima da mídia alternativa do final dos anos 1980, em especial os fanzines.

Continua após a publicidade

O visual punk de Tank Girl inspira rebeldia e remete à moda contestadora de Vivienne Westwood. Seu comportamento é declaradamente fora da lei, cheio de provocações sexuais e abuso de substâncias. O texto de Alan Martin também era repleto de viagens lisérgicas e psicodélicas, em uma narrativa muitas vezes caótica, anárquica e absurda.

Não demorou até que Tank Girl fosse adotada pelo emergente movimento riot grrrl, liderado pela comunidade punk feminista underground no início da década de 1990 em Washington, nos Estados Unidos. A iniciativa combinou a visão social feminista com um estilo musical e politico anarquista, e o uso da personagem, juntamente com o trabalho de bandas como Bikini Kill e Sleater-Kinney, ajudaram a espalhar por 26 países as mensagens contestadoras sobre estupro, violência doméstica, sexualidade, racismo, patriarcado e empoderamento feminino.

Publicação de Tank Girl

Continua após a publicidade

Tank Girl começou a ser publicada em 1988, na revista britânica Deadline, e a melhor fase, com os traços de Hewlett, durou até 1995, quando as histórias passaram a ser lançadas pelo selo adulto da DC, o finado Vertigo — em 1991 suas aventuras já haviam conquistado os leitores estadunidenses graças a reimpressões da Dark Horse Comics.

Também em 1995, a HQ ganhou uma adaptação, que, embora não tenha conseguido transpor a maestria dos criadores originais, ajudou a popularizar a personagem como ícone da contracultura moderna. Suas aventuras foram publicadas na Espanha, Itália, Alemanha, Escandinávia, Argentina, Estados Unidos, Japão e Brasil, na revista Animal.

Tank Girl continua sendo publicada até hoje, com Martin e outros desenhistas, mas a fase de Hewlett é a mais celebrada e ainda aparece em reimpressões com novo tratamento editorial e material adicional.

Continua após a publicidade

Tank Girl inspirou a criação do Gorillaz

Como o vocalista Damon Albarn sempre foi fã de Tank Girl e do trabalho de Hewlett, o cantor convidou o ilustrador para criar o design e a personalidade dos integrantes da banda virtual britânica Gorillaz, quer viriam a ser os “avatares” para os músicos. Quando nasceu, em 1998, era a primeira vez que um grupo musical deixava os artistas reais em segundo plano e se apresentava como se as figuras cartunescas realmente existissem.

A participação de Hewlett na criação do Gorillaz foi tão importante que os músicos se ajustaram para conseguirem se expressar artisticamente de uma maneira sincronizada com a personalidade de cada membro virtual. Albarn, por exemplo, quando “encarna” os personagens da banda, canta de forma mais contida e melancólica.

Continua após a publicidade

Hewlett é tão importante para o Gorillaz que ele é considerado membro fundador e integrante ativo da banda desde o começo. O artista acompanha o grupo nos shows e, além de produzir toda a arte dos álbuns e divulgação, também é responsável por todas as animações em videoclipes, apresentações em festivais e aparições públicas dos músicos virtuais, inclusive em entrevistas.

Ao longo de sua carreira, Hewlett também ilustrou HQs de Judge Dredd, Patrulha do Destino, Shade, entre outros, mas, ultimamente, anda longe dos quadrinhos. Entre suas atividades mais recentes, além do trabalho no Gorillaz, o desenhista tem se dedicado a exposições de arte e eventos semelhantes.