Como Nick Fury perdeu seu olho? Veja o que rolou em todas suas versões

Por Claudio Yuge | 08 de Maio de 2020 às 21h30
Marvel Comics
Tudo sobre

Marvel

Saiba tudo sobre Marvel

Ver mais

Nick Fury é um dos personagens mais conhecidos da Marvel Comics e ficou ainda mais popular depois de sua encarnação nos cinemas, a partir da interpretação de Samuel L. Jackson. Contudo, essa versão não é exatamente a que todos estavam acostumados nos quadrinhos e a editora teve que “dar um jeitinho” de incluí-la em sua cronologia oficial. Um dos maiores mistérios que envolvem o herói de guerra é a razão por trás de seu tapa-olho. E a pergunta que muitos fazem é: Como isso aconteceu? Bem, falamos exatamente a respeito disso logo abaixo.

Vale destacar que esse visual esteve atrelado a Fury desde o início, nos anos 50, como uma espécie de “charme”. Afinal, não há coisa mais curiosa do que saber de onde vieram as cicatrizes de batalha de um espião, certo? Pois bem, somente ao longo das décadas, especialmente em meados dos anos 60, é que o background do herói foi sendo construído com elementos mais complexos — e aí é que começam as explicações sobre o tapa-olho.

Vamos então aos detalhes desse mistério nas quatro versões de Fury.

Atenção: aqui há spoilers sobre diversas aventuras da Marvel Comics e do Marvel Studios — já faz tempo que essas tramas foram exibidas, mas vai que você não viu e prefere não estragar surpresas.

Nick Fury original

Reprodução/Marvel Comics

Desde os anos 50, Fury é o principal nome quando falamos em histórias de espionagem na Marvel Comics. E foi na edição Howling Commandos #27, de 1966, que os fãs ficaram sabendo pela primeira vez o que aconteceu com o olho esquerdo do personagem. Em uma missão na Alemanha, o grupo liderado pelo herói, o Comando Selvagem, conseguiu deter os nazistas. Contudo, um soldado inimigo lançou uma granada na equipe.

Fury até diminuiu o impacto e salvou seus companheiros, ao jogar a granada de volta, mas a explosão aconteceu muito próximo e um fragmento atingiu seu olho esquerdo. Ele chegou a ser atendido pela equipe médica, que até poderia salvar sua visão com uma cirurgia — o que o deixaria fora de combate por um ano. Mas Fury preferiu se manter em atividade, por isso ficou caolho.

Posteriormente, Fury se tornou uma referência de alto comando, estratégia e espionagem na SHIELD. Graças à substância conhecida como Fórmula do Infinito, manteve-se jovem desde a Segunda Guerra Mundial.

Nick Fury versão Ultimate

Reprodução/Marvel Comics

Todo o Universo Cinematográfico Marvel (MCU, na sigla em inglês) foi montado sobre a versão dos Vingadores do universo alternativo Ultimate, lançado nos anos 2000 como uma forma de revitalizar os personagens para uma nova geração de leitores. Os Maiores Heróis da Terra eram chamados de Supremos e suas tramas apresentavam uma pegada muito mais realista, com variantes dos heróis bem mais falíveis e violentas. Foi aí que o Fury com o visual de Samuel L. Jackson foi introduzido — o que naturalmente criou um lobby para que o ator vivesse o veterano de guerra nos cinemas.

Bem, em Ultimate X-Men # 11, de 2001, vemos um flashback em que Fury era um soldado ianque atrelado à divisão Arma X — a unidade militar secreta associada a Wolverine — durante a Guerra do Golfo. Enquanto Fury e sua unidade transportavam o mutante canadense, são emboscados por guerrilheiros iraquianos armados com lançadores de foguetes.

Fury é pego de surpresa em uma das explosões e fica gravemente ferido, enquanto os inimigos saqueiam os destroços. É aí que Logan entra em ação e mata cada um dos oponentes, de forma metódica e agressiva. Depois desse banho de sangue, Fury até pensou que Wolverine faria o mesmo com ele, contudo, o baixinho carregou o veterano de guerra nas costas por 17 horas e salvou sua vida — sem o olho esquerdo, mas pelo menos respirando.

Nick Fury Jr.

Reprodução/Marvel Comics

Quando o MCU passou a fazer sucesso, a Marvel Comics, que começou a alinhar suas propriedades com o status dos personagens no cinema, então pensou em algo para tornar o Nick Fury “oficial” parecido com sua versão Ultimate. Foi aí que inventaram, na minissérie Cicatrizes de Guerra, de 2011, um filho para o Fury que todos conheciam desde os anos 50.

Após o assassinato de sua mãe, o guarda-florestal do exército Marcus Johnson é arrastado para uma conspiração, com direito a encontros com Deadpool, o vilão treinador e até a Sociedade da Serpente. Eis que ele fica frente a frente com o Fury original e descobre que o cara é seu pai. Ambos são capturados pelos inimigos, que estão em busca da Fórmula do Infinito, presente nos dois.

O olho esquerdo de Johnson então é mutilado, como uma amostra de tecido para o desenvolvimento da substância. Johnson consegue se libertar, detonar os assassinos de sua mãe e libertar seu pai. Depois disso, foi integrado à SHIELD, onde começou a operar legalmente com o nome de Nick Fury Jr.

Vale destacar que o Nick Fury original ainda teve uma despedida “oficial” na saga Pecado Original, em que ficamos sabendo que, na verdade, ele está velho há tempos e controla uma legião de réplicas suas. O velho Fury passou décadas monitorando ameaças de realidades paralelas, na órbita da Terra.

O velho Fury em Pecado Original (Reprodução/Marvel Comics)

Nick Fury do Marvel Studios

Reprodução/Marvel Studios

Em Capitã Marvel ficamos sabendo como a versão cinematográfica de Fury ganhou sua famosa cicatriz. Ainda jovem, ele mostra desde o início do filme alguns cortes no olho esquerdo, contudo, o que o fez mesmo perder a visão no MCU foi um ataque do gato Goose — que, na verdade, é um perigoso alienígena da raça Flerken.

Mas a história que Coulson o vê contar para os agentes da SHIELD é outra, mais heroica do que um aparente "gatinho" arranhando seu rosto.

Com informações do CBR.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.