Retorno do Tamagotchi será a alegria das "crianças dos anos 1990"

Por Rafael Rodrigues da Silva | 07 de Junho de 2019 às 21h10

2019 pode ser considerado como o ano em que os anos 1990 voltaram de vez. Aladdin e O Rei Leão são dois dos maiores lançamentos em filmes do ano, Punky: A Levada da Breca vai ganhar uma continuação e os Backstreet Boys lançaram um álbum que chegou ao topo das paradas da Billboard. O “revival” cultural da década de 1990 segue acontecendo em todo mundo, e a indústria de brinquedos não iria ficar de fora dessa: quem também está voltando à vida em 2019 é o Tamagotchi, o famoso “bichinho virtual” que foi febre na segunda metade da década de 1990.

A Bandai, fabricante do “bichinho”, anunciou que lançará uma nova versão do Tamagotchi em julho deste ano. O novo Tamagotchi continuará com a mesma cara do original — uma espécie de chaveiro com formato de um ovo, com uma tela e três botões para interação —, mas terá uma atualização no software que permitirá que ele faça mais coisas além de comer, dormir, brincar e, eventualmente, morrer. O novo Tamagotchi será um verdadeiro personagem de videogame, e poderá explorar mundos, conhecer outros Tamagotchis, casar e até mesmo ter filhotes.

Por enquanto, a nova versão do “bichinho virtual” será lançada apenas nos Estados Unidos mas, se depender do sucesso que a notícia já está fazendo por lá, a Bandai pode querer lançar o produto em mais países. Isso porque a empresa diz que, desde que colocou o brinquedo em pré-venda, não para de receber pedidos de pessoas que estão realmente ansiosas pela volta do companheiro virtual.

À esquerda, o Tamagotchi original lançado em 1996, e à direita o Tamagotchi On, uma das novas versões do produto que será lançado em julho (Imagem: Bandai)

De acordo com o analista de mercado Chana Baram, houve um aumento considerável nos últimos anos na procura por itens da década de 1990. Esse tipo de retomada do passado sempre foi algo comum na indústria da moda, mas neste fim da década de 2010 se tornou algo relativo a qualquer item que pode ser considerado dos anos 1990. Baram acredita que um dos motivos para essa procura seja a busca de um “escape” das dificuldades do mundo atual em itens que recordem as pessoas de uma época mais simples da infância.

Quem também percebe esse aumento na procura por brinquedos dos anos 1990 é Alessio Di Marco, dono de uma loja especializada na venda de itens vintage para colecionadores. Do ano passado para cá, o lojista percebeu um grande aumento na procura por brinquedos típicos da década de 1990, como bonecos das Tartarugas Ninja, dos Power Rangers e da boneca Polly Pocket. Ele também revela que há uma crescente procura por fitas VHS e DVDs de clássicos da Disney lançados nesta época, como A Pequena Sereia, A Bela e a Fera e O Rei Leão.

Essa nostalgia é real e quantificável: de acordo com uma pesquisa de mercado recente feita pela Mintel com adultos do Reino Unido, 57% responderam que gostariam de comprar para seus filhos os mesmos brinquedos que eles tiveram durante a infância. E é esse sentimento de nostalgia, de que o passado foi uma época apenas de felicidades e uma época muito melhor do que a que vivem hoje, que tem feito com que as empresas apostem cada vez mais em um retorno a elementos dos anos 1990 para impulsionar suas vendas.

Sucesso da década de 1990, remake de O Rei Leão é uma das estreias mais aguardadas no cinema em 2019 (Imagem: Disney)

E há uma explicação científica para isso: qualquer coisa que te faz lembrar de sua infância — seja um brinquedo, uma música, uma peça de roupa ou um filme — fica codificada em nossas mentes como algo positivo, e nos lembra automaticamente de sentimentos bons que temos desta época de nossas vidas. E, como o momento atual do mundo é de incerteza e as atuais gerações de jovens adultos se veem sem muita perspectiva de futuro, esse adultos estão cada vez mais recorrendo à nostalgia para conseguir ter qualquer pequeno tipo de alegria em suas vidas.

Mas a estratégia da Bandai não é apenas contar com a nostalgia de seus antigos fãs. A empresa espera que o Tamagotchi On (uma versão voltada para meninas entre 6 e 12 anos de idade que também será lançada em julho) tenha melhorias suficientes para torná-lo um dispositivo que cative uma nova geração de consumidores — e quem, sabe sabe, daqui a vinte anos descontará suas próprias frustrações com a vida adulta comprando mais Tamagotchis.

Fonte: BBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.