Comparativo Huawei Watch GT 3 x Amazfit GTR 3 Pro: qual é o melhor relógio?

Comparativo Huawei Watch GT 3 x Amazfit GTR 3 Pro: qual é o melhor relógio?

Por Diego Sousa | Editado por Wallace Moté | 11 de Maio de 2022 às 10h14
ErikMockaitis/Canaltech

O Huawei Watch GT 3 e o Amazfit GTR 3 Pro são dois dos smartwatches mais procurados do momento. Eles são bem parecidos em especificações e preço, por isso preparei esta matéria para ajudar você a encontrar a melhor opção.

Construção e design

Tanto o Huawei Watch GT3 quanto o Amazfit GTR 3 Pro apostam em um design circular, mais próximo dos relógio tradicionais. O modelo da Huawei aparenta ser mais robusto por trazer uma caixa feita de aço inoxidável, enquanto o rival apresenta liga metálica em sua composição, mas ambos parecem resistentes.

O Huawei Watch GT 3 tem caixa de aço inoxidável e resistência à água (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

Apesar de apresentarem um visual mais casual, os dois smartwatches são recomendados para auxiliarem em atividades físicas, por isso temos resistência a mergulhos de até 50 metros de profundidade, fazendo com que eles possam aliados durante treinos de natação em piscinas ou praias.

Se você procura um relógio com aspecto mais minimalista, o Amazfit GTR 3 Pro é a opção mais acertada por apresentar somente a tela na parte frontal e dois botões nas laterais. Ele tem um design bem simples, porém bastante elegante.

A Amazfit GTR 3 Pro tem um design mais minimalista (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

O smartwatch da Huawei tem um visual mais avantajado: ao redor da tela, é possível notar os indicadores de minutos e segundos, similar aos relógios comuns mais robustos da G-Shock, por exemplo. Eu só não achei esse detalhe muito necessário porque, dependendo do mostrador, ele fica sem uso.

Com relação à pulseira, os dois relógios possuem opções de fluorelastômero, um material emborrachado resistente a “ataques químicos”, como suor. Mas a boa notícia é que você consegue trocar a pulseira por qualquer coisa se tiver o mesmo tamanho, claro.

Tela

A tela dos dois smartwaches também é muito parecida, tanto em tamanho quanto em qualidade. Eles usam um display do tipo AMOLED e resolução Ultra HD, com diferenças mínimas nas polegadas — o Huawei Watch GT 3 tem 1,42 polegada e o Amazfit GTR 3, 1,43 polegada.

Tela AMOLED do Huawei Watch GT 3 é excelente (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

Graças ao painel AMOLED, temos uma excelente qualidade de imagem nos dois relógios. A definição é impecável, as cores são extremamente vivas e o contraste é infinito.

Você também não precisa se preocupar com a intensidade do brilho, já que os dois possuem softwares inteligentes para determinar o melhor nível conforme a luz ambiente — ou seja, também não devem atrapalhar durante o sono.

Outro benefício da tecnologia AMOLED é a implementação do modo Always on Display, o qual exibe algumas informações básicas do relógio, como data e hora, com a tela “desligada”. Essa é uma característica interessante e pouco utilizada em modelos mais simples.

Tanto a Huawei quanto a Amazfit fornecem uma grande variedade de mostradores — ou watchfaces, como também são chamados os "papéis de parede” dos dispositivos. Entre as opções, os usuários podem encontrar mostradores com design de relógio analógico, digital ou modelos que combinam os dois.

Um dos mostradores do Amazfit GTR 3 Pro (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

Configurações e desempenho

Primeiro de tudo, é importante ressaltar que os dois relógios não são tão limitados como uma fitness tracker, mas também não são tão inteligentes como os verdadeiros smartwatches, como Galaxy Watch 4 e Apple Watch Series 7.

Na prática, isso significa o que? Bom, basicamente, você dependerá de uma conexão com o smartphone para conseguir utilizá-lo em toda sua potência.

Tanto o Huawei Watch GT3 quanto o Amazfit GTR 3 Pro, pelo menos, possuem memória interna disponível, que pode servir para armazenar algumas músicas para reprodução offline ou instalar alguns apps mais simples, como um lembrete para tomar água ou um assistente para auxiliar durante a gravidez.

Eles possuem um sistema próprio, porém não são independentes (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

E é praticamente isso. Todas as outras funções de smartbands comuns podem ser executadas por aqui, tais como visualizar mensagens e respondê-las com algumas opções básicas — como “Ok” e “Obrigado” —, monitorar seus batimentos cardíacos e níveis de oxigenação no sangue, e registrar seus treinos.

Com relação ao monitoramento de saúde e atividades, basicamente não há o que reclamar dos dois. O Amazfit GTR 3 Pro é equipado com o BioTracker 3.0, sensor responsável por monitorar não só os batimentos cardíacos e a oxigenação no sangue, mas também caminhadas e a prática de exercícios físicos em geral.

Meu colega Bruno Bertozin, quem testou o dispositivo para o Canaltech, disse que o sensor foi bastante competente durante os testes e que bastaram alguns segundos para o sensor retornar os dados solicitados para o app Zepp. Existe até um recurso para monitorar várias informações de uma vez.

Do outro lado, temos o TruSeen 5.0, solução da Huawei que equipa o Huawei Watch GT 3. Nos meus testes com o relógio, também não tive nenhum problema na tanto na identificação de exercícios quanto no registros da área da saúde.

Sensor de batimentos cardíacos do Huawei Watch GT3 é ótimo (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

Se você tiver o costume de praticar muitos exercícios, tanto o Huawei Watch GT3 quanto o Amazfit GTR 3 Pro vão te servir bem por possuir suporte para mais de 100 modalidades, incluindo os populares ciclismo, corrida e natação, até alguns incomuns, como pular corda.

Como os dois relógios possuem GPS integrado, é possível calcular a distância percorrida de algumas atividades, principalmente corrida e ciclismo ao ar livre, com muito mais precisão.

Um diferencial do Huawei Watch GT3 é a possibilidade de ter um programa de treino específico de corrida conforme seus objetivos e perfil. Tudo é feito automaticamente pelo aplicativo Saúde e pode ser ajustado de acordo com seu rendimento.

Além dos exercícios, não poderia deixar de mencionar que os dois entregam dados sobre sono e estresse do usuário. Não são novidades, mas é bom saber que está presente.

Aplicativo

Os dois relógios compartilham muitas características, mas em conectividade as coisas mudam. Tanto o Huawei Watch GT3 quanto o Amazfit GTR 3 Pro possuem um aplicativo dedicado, que oferece todo o gerenciamento das funções dos vestíveis.

Do lado do smartwatch da Amazfit, temos o Zepp, que melhorou muito ao longo dos anos e se encontra muito mais fluido e completo. Já o relógio da Huawei tem à disposição o Saúde, que também é cheio de recursos úteis e possui uma interface interessante.

O grande problema do software da Huawei é que ele simplesmente deixou de ser atualizado na Play Store devido às sanções que a marca chinesa sofreu dos EUA lá em 2019, ficando impedida de usar tecnologias norte-americanas. Ou seja, você até consegue baixar o Huawei Saúde por lá, mas não haverá suporte ao Watch GT 3.

Huawei Saúde (Captura de tela: Diego Sousa/Canaltech)

Para solucionar isso, a Huawei disponibiliza um QR Code que leva diretamente à plataforma App Gallery — a Play Store dos dispositivos da chinesa — para instalar o app. Só que, se você tiver um iPhone, o procedimento para baixar apps fora da App Store é muito complicada.

Já o Zepp está disponível tanto na App Store quanto na Play Store, o que o torna muito mais acessível para usuários mais comuns.

Bateria e carregamento

O Huawei Watch GT 3 promete até 14 dias de autonomia de bateria no modelo de 46 mm, contra até sete dias na versão de 42 mm. Nos meus testes, com todos os recursos de monitoramento ligados, Always on Display habilitado e brilho automático, o relógio chegou ao 7º dia com 36%.

Mesmo que provavelmente ele não chegaria ao décimo quarto dia, eu considerei uma boa autonomia porque não precisei me preocupar com a bateria dele por uma semana.

Com relação ao Amazfit GTR 3 Pro, a Amazfit promete até 12 dias de duração da bateria com um uso comum e, segundo a marca, essa duração pode cair para 6 dias com um uso constante ou até 35 horas com o GPS ativado constantemente.

Bateria do Amazfit GTR 3 Pro é muito inferior a do Huawei Watch GT 3 (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

No entanto, segundo meu colega Bruno Bertozin, o relógio durou apenas três dias, com as funções de monitoramento de batimento cardíaco contínuo ativada, modo para identificar a respiração durante o sono ligado e frequência de medição a cada dez minutos.

Ou seja, se você prioriza autonomia de bateria, o Huawei Watch GT 3 é uma opção mais acertada.

Huawei Watch GT 3 x Amazfit GTR 3 Pro: qual é o melhor?

Analisando todos os pontos positivos e negativos de cada um, acredito que o Huawei Watch GT 3 seja uma opção melhor que o Amazfit GTR 3 Pro, mas ele ganha nos detalhes. A bateria dele é bem superior, enquanto o aplicativo Saúde oferece mais opções de treino mais interessantes.

Mas é preciso considerar a dificuldade de instalar o aplicativo da Huawei no iPhone, já que ele não é mais atualizado na App Store. Ou seja, se você tiver no ecossistema da Apple, o Amazfit GTR 3 Pro é melhor.

Design é um departamento muito subjetivo, portanto não dá para dizer qual é o melhor aqui. Na minha opinião, o Amazfit GTR 3 Pro é mais bonito, porém, em ambos os casos, temos bons materiais e resistência contra água.

No monitoramento de saúde e atividades físicas, os dois relógios também são muito parecidos, seja no número de treinos suportados ou no kit de sensores disponível.

Também tem a questão do preço. O Amazfit GTR 3 Pro é mais barato, porém não vende oficialmente no Brasil. Na gringa, você pode encontrá-lo por cerca de R$ 1.400.

Já seu rival pode ser encontrado por aqui em duas versões. A menor, de 42 mm, custa aproximadamente R$ 1.200, enquanto o modelo maior, o citado neste comparativo, sobe para cerca de R$ 1.600.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.