O que é CyanogenMod?

Por Pedro Cipoli

Embora passe despercebido para a maioria dos usuários, o Android é um sistema operacional baseado em Linux e, além de ser gratuito, possui seu código aberto, o que dá liberdade para desenvolvedores independentes criarem suas próprias versões do sistema, ou ROMs customizadas, sem infringir nenhuma lei ou violar patentes de propriedade intelectual. Mas, afinal, o que é uma ROM?

Conhecido dos usuários de PC como Read-Only Memory, no mundo dos smartphones uma ROM significa a versão do Android que está sendo utilizada. Versões como Gingerbread (2.3), Ice Cream Sandwich (4.0) e Jelly Bean (4.1) são ROMs do Android desenvolvidas diretamente pelo Google, que após o lançamento libera o código fonte para que os fabricantes possam adaptar seus aparelhos a elas e desenvolvedores consigam modificar para melhor atender às suas necessidades.

Samsung Galaxy S estacionou na versão 2.3

Cada fabricante utiliza um modelo diferente de câmera, tela, antena Wifi e 3G, tendo assim que modificar o código da ROM para suportar esses recursos, e esse é o maior motivo para a famosa fragmentação da plataforma Android, pois cada uma das empresas (Samsung, Motorola, HTC, Sony e assim por diante) possui a sua própria versão do Android, o que acaba dificultando a atualização de seus aparelhos.

Por isso, grupos de desenvolvedores independentes estudam o código fonte disponibilizado pelo Google e criam ROMs customizadas, como é o caso do CyanogenMod, para fornecer versões atualizadas a usuários que ainda possuem versões antigas do Android e não estão recebendo atualizações do fabricante do aparelho. Modelos como Samsung Galaxy S e Motorola Milestone 2, que praticamente estacionaram na versão Gingerbread, mas podem ter todos os recursos do Android 4.0 ao instalar a versão 9 do CyanogenMod, por exemplo.

CyanogenMod 9 Android 4.0

Além de permitir a atualização de alguns aparelhos que não possuem o suporte do fabricante, o CyanogenMod traz alguns recursos adicionais para o usuário, como possibilidade de customização completa de todo o aparelho sem a necessidade de Root, já que o usuário já é administrador por padrão, e uma performance perceptivelmente superior, já que muitos aplicativos e modificações de interface pré-instalados pelo fabricante (como TouchWiz e Motoblur, por exemplo) não estão presentes, liberando memória e processamento.

Pelas informações acima parece que não há motivo para não instalar a ROM customizada do CyanogenMod, certo? Não é bem assim. Como é uma versão não oficial do sistema, o próprio usuário deve fazer todas as etapas da instalação e correr todos os riscos, já que é uma operação não coberta pela garantia do aparelho. Por isso são liberadas versões estáveis, que minimizam o risco de perder (ou "brincar") com o aparelho e versões Alpha, Beta e Release Candidate (RC), para que o usuário determine o risco que está disposto a correr.

Interface customizada do CyanogenMod

São liberadas também versões que incluem as "Core Functions" (funções principais), que deixam o aparelho com o 3G, som, aplicativos e outras funções essenciais funcionando.

Possui um aparelho rodando alguma versão do CyanogemMod? Conte para nós!