Publicidade

Review Black Shark GS3 | O smartwatch com uma dose de IA

Por| Editado por Léo Müller | 31 de Maio de 2024 às 18h00

Link copiado!

Review Black Shark GS3 | O smartwatch com uma dose de IA
Review Black Shark GS3 | O smartwatch com uma dose de IA
Black Shark GS3

O Black Shark GS3 é o novo relógio inteligente da marca chinesa que promete uma experiência robusta e bateria de longa duração. Em conjunto com essas características, o acessório possui Shark GPT — variação do ChatGPT — com comandos por voz. Testei o smartwatch para contar a você se ele vale a pena.

Continua após a publicidade

Design robusto

O Black Shark GS3 tem um visual mais robusto, parecido com o Casio G-Shock GBD-H2000 que testei em 2023. Ele tem uma armadura em plástico e alumínio, além de três teclas de função à direita. No entanto, duas delas possuem funções repetidas, sendo o acesso ao menu. O botão com a coroa giratória facilita a navegabilidade, e isso é ótimo para o uso diário.  Ele tem certificação IP69K, que o protege contra poeira, água do mar e alterações extremas de temperatura.  

A tela do smartwatch é AMOLED de 1,43 polegada. O brilho é agradável para o uso em ambientes externos, e o nível de cores é agradável nos ícones e fontes. Para completar, o GS3 tem função Always on Display, mas só apresenta as opções de mostrador com relógio analógico ou digital, sem qualquer personalização. 

O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Monitoramento de saúde e exercícios

Assim como outros smartwatches, ele tem acompanhamentos variados: monitor cardíaco, sono, estresse, ciclo menstrual feminino e SpO2 (oxímetro). No geral, as funcionalidades apresentam uma usabilidade coerente, sem discrepâncias.

Continua após a publicidade

Por outro lado, o contador de passos não é tão preciso porque registra os movimentos do braço como se fosse uma caminhada. Isso é preocupante, principalmente se pensarmos na proposta do relógio.

Ele tem mais de 100 monitoramentos de esportes diferentes, sendo todos que envolvem caminhada ou corrida rastreáveis via GPS integrado. Pela minha experiência, ele apresentou resultados precisos, algo relevante para quem costuma fazer trilhas ou corridas.

Todos os monitoramentos ficam registrados tanto na memória do relógio quanto no aplicativo Shark Wear. Ele tem um layout com ícones da identidade da Black Shark, mas com uma paleta de cores sem linearidade, tornando o app visualmente estranho.

Continua após a publicidade

Configurações e sistema

O sistema do Black Shark GS3 é o Android Wear, o antigo software do Google para smartwatches. A presença deste SO faz com que o produto chegue ao mercado já defasado, pois a empresa não realiza mais updates desta versão.

Outro ponto a ser citado é que este software não lembra nenhum pouco a versão que conhecemos atualmente, pois não tem a possibilidade de instalar novos aplicativos. Na verdade, o layout de apps e recursos lembra mais uma smartband do que um smartwatch.  

Continua após a publicidade

Algo que me incomodou bastante foi a parte de notificações. Os textos são mostrados em detalhes, mas as mensagens não podem ser respondidas direto no relógio. Para um smartwatch, isso é inadmissível, pois smartbands costumam ter até mesmo opções de respostas rápidas.

A adição do Shark GPT chama a atenção, permitindo uma experiência de uso da Inteligência Artificial direto no relógio. A comunicação com a IA é realizada por áudio, pois o produto não possui teclado virtual. Entretanto, o recurso só é utilizável em inglês, e os comandos são limitados demais, principalmente se compararmos com a experiência que o ChatGPT entrega. Além disso, a função só é ativa quando o relógio está conectado ao celular. Na minha opinião, ter a Alexa nele seria mais útil.

Ainda sobre a implementação de IA no relógio, é possível gerar watchfaces no aplicativo. Assim como em outras IAs generativas, é necessário fazer a descrição dos elementos em inglês, mas é interessante ver que é possível definir por categoria para garantir uma experiência mais pessoal.

Continua após a publicidade

Bateria e carregamento

Segundo a ex-subsidiária da Xiaomi, o Shark GS3 tem autonomia de até 21 dias consecutivos, mas não detalhou o cenário específico. Porém, no nosso teste de uso prático, o relógio se mostrou bem inferior. Com 450 mAh, brilho médio, monitoramento cardíaco constante e o modo Always on Display ativo, a bateria durou apenas 2 dias e meio. 

Concorrentes diretos

Continua após a publicidade

O Samsung Galaxy Watch 5 Pro é um grande concorrente do Black Shark GS3. O relógio inteligente da sul-coreana entrega um design bonito, o sistema WearOS é mais completo e atualizado, e a bateria tem ótima durabilidade, como apontado pelo analista Felipe Junqueira em seu review completo.

Seu preço atual, próximo aos R$ 1.300, faz com que os cerca de R$ 560 — sem taxas de importação — cobrados no modelo chinês seja um valor alto demais para o que o GS3 proporciona. Até porque temos que considerar que, com todas as taxas, seu preço deve ficar próximo dos R$ 1.000.

Continua após a publicidade

O Black Shark GS3 vale a pena?

O Black Shark GS3 não vale a pena porque entrega um sistema defasado e sem a mínima expectativa de atualização. Apesar de entregar uma leve integração com IA, ele não proporciona uma experiência atrativa nas tarefas mais simples. 

Considerando tudo que faz sentindo em um smartwatch atualmente e a sua faixa de preço — somado à taxa da Remessa Conforme —, é melhor comprar o Galaxy Watch 5 Pro ou até mesmo os modelos T-Rex, da Amazfit. Porém, pelo preço promocional de R$ 260, pode ser uma boa opção de smartwatch robusto.

Continua após a publicidade