Publicidade

Review Ryzen 7 7700X | Ótimo em jogos, mas limitado pelo DDR5

Por| Editado por Léo Müller | 21 de Outubro de 2022 às 15h16

Link copiado!

Review Ryzen 7 7700X | Ótimo em jogos, mas limitado pelo DDR5
Review Ryzen 7 7700X | Ótimo em jogos, mas limitado pelo DDR5

O Ryzen 7 7700X é o primeiro processador com 8 núcleos e 16 threads da nova geração de chips desktop AMD. A CPU rende muito bem em jogos, disputando o topo dos benchmarks com os processadores mais rápidos da geração anterior e também com os Ryzen 9 7900X e 7950X, que são mais caros.

Os AMD Ryzen Série 7000 são baseados na arquitetura Zen 4, codinome Raphael, e no novo soquete da AMD para a plataforma desktop, o AM5. Nessa plataforma, a companhia inaugurou uma nova tecnologia de escalonamento de desempenho, em que os processadores entregam o máximo de performance possível enquanto houver margem térmica, até a temperatura máxima para o funcionamento seguro do chip.

A nova plataforma AM5, da AMD, é compatível com as mais recentes tecnologias de hardware e conectividade, como memórias DDR5, PCIe 5.0, Wi-Fi 6 e USB 3.2 Gen 2. Contudo, os novos processadores não suportam memórias DDR4, dificultando a adoção do AM5.

Continua após a publicidade

Eu analisei o Ryzen 7 7700X por alguns dias, e fiz alguns testes de benchmarking comparando-o com o Ryzen 9 5900X, um dos chips mais rápidos da geração passada. Confira o review e saiba se vale a pena incluir o Ryzen 7 7700X como um possível upgrade para seu PC gamer ou estação de trabalho.

Configuração dos PCs de teste

O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

A AMD nos enviou um kit bastante parrudo para a montagem e análise dos Ryzen 7000. Possivelmente, eu devo fazer o review à parte da placa-mãe, que é um dos modelos mais avançados da Aorus.

Nós não tínhamos um setup com processador Intel para realizarmos um comparativo. Por isso, usamos uma máquina equipada com um Ryzen 9 5900X, que tem 12 núcleos e 24 threads. Por isso, em testes de multitarefa, uma CPU com menos núcleos e threads só poderá ser superior devido à eficiência de sua arquitetura.

Setup Ryzen 7 7700X:

Continua após a publicidade
  • Placa-mãe Aorus Master X670E (BIOS F8a);
  • 32 GB de RAM DDR5 G.Skill Trident Z5 Neo 6.000 MHz CL30 2x 16 GB.

Setup Ryzen 9 5900X:

  • Placa-mãe Gigabyte X570 Gaming X (BIOS F37d);
  • 16 GB de RAM DDR4 Kingston Fury Renegade 4.000 MHz CL19 2x 8 GB.

Peças usadas nos dois setups:

Continua após a publicidade
  • Placa de vídeo AMD Radeon RX 6800XT 16 GB;
  • SSDSamsung WD Black SN750 500 GB;
  • Monitor Samsung U28E590D;
  • Fonte Corsair HX850i;
  • Cooler Scythe Ninja 5.

Software

  • Windows 11 Home Versão 22H2 Build 22621.521 (22621.674 no AM5);
  • Driver Adrenaline Versão 22.9.1.0 (22.10.1 no AM5).

Ficha técnica do AMD Ryzen 5 7900X

Continua após a publicidade
  • Núcleos / threads: 8 / 16;
  • Clock base / turbo: 4,5 GHz / 5,4 GHz;
  • Cache L3 total: 32 MB;
  • Gráficos integrados: Radeon RDNA2;
  • Arquitetura: Zen 4;
  • Soquete: AM5;
  • Litografia: 5 nm;
  • Temperatura máxima: 95º C;
  • Refrigeração: Não incluída;
  • TDP: 105 W.

Testes com software de benchmarking

Os programas de benchmarking são essenciais em testes de hardware, pois podem medir o desempenho de diversos componentes de hardware de forma simples e fácil, ajudando a poupar tempo e trabalho.

Cinebench R23

Continua após a publicidade

O Cinebench R23 analisa o desempenho bruto do processador quanto à utilização de apenas um núcleo e também com todos os núcleos em pleno uso. O programa exige bastante do hardware e é um dos mais usados em testes de estabilidade.

Blender

O Blender é uma ferramenta de código aberto utilizada em inúmeras atividades, como renderização, animação 3D, simulação, modelagem, edição de vídeos, etc. O software tira proveito de arquiteturas mais modernas, com maior quantidade de cache e outros aprimoramentos.

Continua após a publicidade

O aplicativo traz três benchmarks por padrão, o Monster, o Junkshop e o Classroom, sendo que houve praticamente um empate técnico entre o 7700X e o 5900X. Perceba que a CPU mais recente tem bem menos núcleos e threads.

V-Ray

O V-Ray analisa o desempenho do processador quanto à renderização de imagens, fazendo uso otimizado do multi-threading e de novas tecnologias.

Continua após a publicidade

Neste software, ambas as CPUs desempenharam de maneira bastante semelhante, da mesma forma como ocorreu no Blender.

PCMark 10

O PCMark testa o desempenho do chip quanto à execução de diversas tarefas de produtividade relacionadas ao trabalho em escritório. Ele simula a abertura de aplicativos, navegação na internet, realização de videoconferências, acesso a planilhas, entre outras atividades.

Continua após a publicidade

Como houve um espaço de alguns dias entre os testes realizados com as duas CPUs, pode ter havido algum tipo de atualização que bugou a coleta de dados do benchmarking do Ryzen 9 7700X. Ainda assim, podemos observar a pontuação do processador nas diferentes categorias.

7-Zip

O 7-Zip possui uma ferramenta de benchmarking integrada que indica a performance do chip quanto à compressão e descompressão de dados.

Continua após a publicidade

Veja que o 7700X supera o 5900X em compressão, mas perde em descompressão.

HWBot x265

O HWBot x265 simula uma conversão de vídeo H264 para um vídeo H265/HEVC, usando o encoder x265, e medindo os quadros por segundo em duas resoluções possíveis: 1080p e 4K.

Continua após a publicidade

O Ryzen 7 7700X vence o Ryzen 9 5900X em ambos os testes, mesmo possuindo menos núcleos e threads.

Fire Strike

Benchmark para desempenho em jogos em 1080p, baseados no DirectX 11.

Fire Strike Extreme

Benchmark para desempenho em jogos em 1440p, baseados no DirectX 11.

Fire Strike Ultra

Benchmark para desempenho em jogos em 4K, baseados no DirectX 11.

Time Spy

Benchmark para desempenho em jogos em 1080p, baseados no DirectX 12.

Time Spy Extreme

Benchmark para desempenho em jogos em 4K, baseados no DirectX 12.

Por motivo desconhecido, o Time Spy Extreme não rodou na plataforma Zen 3 (Ryzen 9 5900X). De qualquer forma, fica o teste realizado com o Ryzen 7 7700X para que os usuários possam comparar com seus setups.

CPU Profile

Este software testa o escalonamento de desempenho do processador com diferentes quantidades de threads em uso.

Percebam como o Ryzen 7 7700X já começa a superar o Ryzen 9 5900X a partir do uso de 16 threads. Essa vantagem vai aumentando à medida que a contagem de threads em uso diminui, resultado do melhor desempenho em single-core da nova arquitetura da AMD.

Testes com jogos

Embora os programas de benchmarking sejam confiáveis para indicar a performance do hardware, nada mais correto do que realizarmos testes com jogos em situações reais. A princípio, eu escolhi três títulos dentre os mais populares da atualidade. Posteriormente, poderei fazer mais testes, incluindo novos títulos, e também com novas versões de BIOS e drivers.

Forza Horizon 5 (Ultra)

Shadow of the Tomb Raider (Medium)

Counter-Strike: Global Offensive (High)

Temperatura e consumo

Durante a execução do Cinebench R23, o Ryzen 5900X chegou aos 73,6° C, com pico de consumo de 143,9 W, numa sensação térmica ambiente de 13° C. Durante o teste do 3DMark CPU Profile, o chip atingiu 91,3° C.

Já o Ryzen 7 7700X chegou ao pico de consumo de 145,65 W, com temperatura máxima de 95,5° C, em um ambiente com sensação térmica de 19° C. No benchmark do 3DMark CPU Profile, a CPU chegou aos 89,6° C.

Esses testes de temperatura e consumo são realizados com software que exige bastante dos processadores. Esses números costumam ser menos menores durante o uso normal, ou durante a execução de jogos.

Concorrentes diretos

Indicar um concorrente direto para o Ryzen 7700X não é uma tarefa muito fácil, pois a CPU chega a superar o Core i9-12900K em alguns títulos, mas perde para processadores de categoria inferior em outros. Isso é resultado das diferenças entre as mais recentes arquiteturas de chips da AMD e Intel.

Eu acredito que o Core i5-13700K consiga competir de igual para igual com o R7 7700X na maioria dos jogos, e também em produtividade. O processador da Intel acabou de chegar ao mercado, e há poucos testes com ele. De qualquer forma, a CPU se mostra muito eficiente em todo tipo de tarefa, e pode ser encontrada custando cerca de R$ 400 a mais que o 7700X.

Vale a pena comprar o Ryzen 7 7700X?

Atualmente, considerando suas mais novas linhas de processadores desktop, é necessário afirmar que tanto a Intel quanto a AMD enfrentam grandes desafios a serem superados. A nova plataforma da AMD é compatível apenas com memórias DDR5, que são muito caras. Isso dificulta bastante a adoção do AM5.

Por outro lado, a linha de chips Raptor Lake, da Intel, deve ser a última baseada nesta arquitetura. Apesar de os processadores Intel aceitarem memórias DDR4, somente as placas-mãe mais caras contam com essa compatibilidade. Pensando em longevidade, a plataforma da Intel é muito mais limitada com relação a futuros upgrades.

Por isso, atualmente, a escolha de um processador deve estar bem atrelada a necessidades específicas do usuário e à sua afinidade com determinada marca.

De uma forma geral, o Ryzen 7 7700X representa uma grande evolução sobre seus equivalentes da geração passada, os Ryzen 7 5700X e 5800X. Há ganhos extraordinários de desempenho, sendo que o processador pode rodar qualquer jogo da atualidade com excelente performance.

No entanto, o chip possui concorrentes de peso, já que a Intel tem adotado uma abordagem de núcleos híbridos, que permitem à fabricante incluir núcleos extras nos processadores. Se você é entusiasta do time azul, o recém-lançado Core i5-13700K surge como uma boa opção com desempenho semelhante ao 7700X em jogos, mas custando um pouco mais.