Inauguração de loja do Aliexpress na Espanha tem fila de 48 horas

Por Rafael Arbulu | 26 de Agosto de 2019 às 12h14

O Aliexpress inaugurou a sua primeira loja física na Europa, especificamente localizada na cidade de Madrid, capital da Espanha. A ocasião foi marcada pela presença de influenciadores do país e uma fila de espera de aproximadamente 48 horas — dois dias completos — para a compra de produtos variados, desde smartphones até eletrodomésticos de marcas chinesas a preços reduzidos.

A loja abriu pontualmente ao meio dia do domingo (25), exibindo, por trás das portas metálicas, 740 metros quadrados com estantes organizadas por temas de busca, tal qual um supermercado comum. A nova loja sinaliza o aquecimento da concorrência do Aliexpress com a Amazon no Velho Continente. A Espanha, segundo disse a companhia ao El País, é o terceiro maior mercado da marca fora da China, atrás apenas de EUA e Rússia.

(Foto: Europa Press)

David Cardero, cidadão madrilenho que foi o primeiro a chegar ao local, disse ter estabelecido regras de convivência a serem passadas para quem viesse depois dele, incluindo formas que permitissem às pessoas irem para casa por algumas horas sem perder espaço na fila. Os 500 primeiros ganharam prêmios atribuídos aleatoriamente pela própria loja: Cardero afirmou ao El País que queria um patinete, mas acabou ganhando um smartphone. “Levo daqui uma grande experiência”, ele disse.

A loja fica localizada dentro do shopping Xanadu, em Arroymolinos, sudoeste da capital espanhola, e sua inauguração não foi livre de transtornos. Um consumidor reclamou — de forma bem “avivada” — que não poderia deixar a fila para ir ao banheiro. Aos poucos, foi acalmado pelos seguranças e conseguiu fazer suas compras (e suas necessidades) após a abertura das portas.

(Foto: Victor Sainz/El País)

“A afluência superou com sobras nossas expectativas”, frisou Eduardo Pisa, diretor de operações do Aliexpress. Em sua opinião, as pessoas vieram porque “querem ver o Aliexpress em um mundo físico, ainda que os presentes ajudem a dinamizar”. Pela comunicação da empresa, nota-se que a ideia de abrir lojas físicas vem para mudar a percepção de “demora” causada pelo serviço de e-commerce pelo qual a companhia tornou-se conhecida: ao comprar na loja online, um determinado produto pode demorar meses a ser recebido pelo consumidor — isso quando ele não fica retido em órgãos alfandegários.

A loja física contratou inúmeros funcionários temporários para trabalharem exclusivamente em sua inauguração, mas a rotina normal terá 20 funcionários, entre atendentes, balconistas e especialistas de produtos.

Fonte: El País

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.