Elon Musk negocia investimentos que fariam SpaceX valer US$ 44 bilhões

Por Rui Maciel | 24 de Julho de 2020 às 14h45
SpaceX

Elon Musk estaria negociando um aumento de capital no valor de US$ 44 bilhões para a Space Explorarion Technologies, popularmente conhecida como SpaceX. A informação é do canal de notícias Bloomberg.

Citando fontes próximas ao assunto, a publicação afirma que a empresa está em discussões com investidores para levantar, inicialmente, cerca de US$ 1 bilhão a um preço de US$ 270 por ação. A rodada avaliaria a empresa em cerca de US $ 44 bilhões, antes de levar em conta o novo capital, afirmaram os envolvidos. No entanto, é pouco provável que o financiamento seja concluído nos próximos meses. Além disso, os termos podem mudar durante as negociações.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Com uma eventual avaliação de US$ 44 bilhões, a SpaceX seria classificada como uma das mais valiosas empresas lastreadas em empreendimentos dos EUA. Mas é importante mencionar que qualquer novo financiamento seguiria uma série de rodadas anteriores. Reportagem do canal CNBC publicado em março apontou que o esforço de investimento mais recente feita pela companhia foi de US$ 500 milhões, fazendo com que a SpaceX conquistasse um valor de mercado de US$ 36 bilhões, ou US$ 220 por ação.

SpaceX: empresa pode valer US$ 44 bilhões muito em breve

Já o banco de investimentos Morgan Stanley publicou na última segunda-feira (20) que um relatório que aponta que a empresa de transportes e sistemas aeroespaciais poderia valer até US$ 175 bilhões, mas não estipulou uma data para isso. Em nota, o banco disse que continua "focado nas necessidades e fontes de capital da SpaceX como um catalisador potencial para aumentar a relevância do espaço para investidores públicos".

O próprio Morgan Stanley afirmou que que a SpaceX levantou cerca de US $ 3,5 bilhões desde a sua criação e estima cerca de US$ 50 bilhões em queima de fluxo de caixa gratuito de 2019 a 2032, antes de seu negócio de internet via satélite, o Starlink, comece a gerar o primeiro fluxo de caixa livre em 2033. Os investidores da SpaceX incluem o Founders Fund de Peter Thiel, Google, Fidelity, Baillie Gifford e Valor Equity Partners.

A NASA como parceira

A SpaceX foi fundada por Elon Musk em 2002. O objetivo da companhia era permitir que as pessoas vivessem em outros planetas. Inclusive, a NASA tem sido uma parceira e cliente-chave da empresa, cuja sede está localizada na cidade de Hawthorne, na Califórnia.

No último dia 30 de maio, uma parceria entre a agência especial dos Estados Unidos e a SpaceX possibilitou o envio de dois astronautas norte-americanos à Estação Espacial Internacional (ISS) a bordo da nave Crew Dragon, da SpaceX. Esse foi o primeiro voo tripulado a ir para a ISS a partir de uma nave desenvolvida comercialmente por uma empresa privada. Além disso, marca ainda o fim da parceria dos EUA com a Rússia para esse tipo de transporte — os russos faziam o envio de astronautas estadunidenses à ISS desde 2011, com o fim do programa dos ônibus espaciais da NASA.

Parceria entre NASA e SpaceX permitiu o fim da dependência russa para missões espaciais

Além disso, a primeira missão tripulada operacional da SpaceX com a NASA na ISS - envolvendo quatro astronautas que passarão seis meses na estação - está agendada para o final de setembro deste ano. A partir daí, a empresa de Musk assume de vez esse transporte, com a Boeing também entrando na jogada a partir do ano que vem, se tudo der certo.

Procurada pela Bloomberg, a SpaceX não respondeu aos pedidos de comentário.

Fonte: Bloomberg  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.