Disney estaria perto de assumir controle majoritário do Hulu

Por Felipe Demartini | 01 de Março de 2019 às 17h35
Tudo sobre

Hulu

Saiba tudo sobre Hulu

Ver mais

A Disney parece efetivamente disposta a assumir controle completo do Hulu, um dos principais serviços de streaming dos Estados Unidos e rival direto da Netflix por lá. A empresa estaria negociando a compra da parcela do serviço que está nas mãos da AT&T por US$ 1 bilhão, assumindo mais 10% de controle sobre uma companhia da qual já é uma das maiores acionistas.

Na somatória, se todos os negócios derem certo, o controle da Disney sobre o Hulu pode chegar a 70%. A companhia já possui uma parcela de 30% da empresa e, com a aquisição da Fox em andamento, soma mais 30% a esse montante. Desnecessário dizer que o streaming, com esse movimento e também a iminência de lançamento de uma plataforma própria, são os grandes focos da empresa neste momento.

A oferta também parece ter caído bem junto aos executivos da AT&T, conforme o que foi publicado na imprensa americana. Em novembro, a empresa confirmou que estaria disposta a vender sua participação no Hulu para ajudar no pagamento de uma dívida de US$ 183 bilhões que tem em andamento. Além disso, a operadora prepara a chegada de sua própria plataforma de conteúdo e considera desnecessária a participação em uma rival.

Para a Disney, por outro lado, o controle sobre o Hulu é uma forma de diversificação. Está marcado para o final deste ano o lançamento do Disney+, seu próprio serviço que vai carregar os desenhos animados, seriados dos canais da empresa e os filmes do Marvel Studio, além de outras produções que são de sua propriedade. Ainda assim, há a força da marca e seu apelo familiar envolvido, o que torna interessante a posse de uma outra plataforma, com mais liberdade e menos pressão.

Além disso, a ideia é que o Disney+ chegue primeiro ao mercado americano e leve algum tempo para se consolidar, enquanto o Hulu é mais do que reconhecido nos EUA. Sendo assim, seria o momento de a companhia atacar suas rivais também no mercado internacional, levando uma plataforma reconhecida principalmente pela agilidade na liberação de séries a mercados que são grandes consumidores desse tipo de conteúdo.

Mesmo com os 60% resultantes da aquisição da Fox, esse já seria o desígnio da Disney, que já falou em se sentar com os diretores do Hulu para conversas sobre oportunidades de investimento e crescimento global. São possibilidades, ainda, e a Disney não confirmou oficialmente o interesse nos 10% possuídos pela AT&T. Entretanto, mesmo sem ela, o caminho do crescimento ainda assim será trilhado.

A chegada aos 100%, entretanto, parece improvável para a Disney e, até mesmo, desnecessária, já que o controle absoluto já é dela. Os 30% restantes são de outra operadora americana, a Comcast, que já afirmou não ter o menor interesse em vender sua parcela do Hulu. Com tanta movimentação, papos de expansão em, claro, lucratividade em vista, ela nem tem motivos para fazer isso, enquanto todas as razões a levam a permanecer como acionista do serviço.

Fonte: Variety

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.