Digital Out Of Home: o que você precisa saber sobre este tipo de mídia

Por Stephanie Kohn | 26 de Julho de 2019 às 17h12
Elemidia

A mídia conhecida como Digital Out Of Home, ou, DOOH, é um tipo de mídia que atinge as pessoas enquanto o público está fora de casa. A categoria engloba vários meios como banner de ônibus, metrô e telas indoor [dentro dos lugares]. Por aqui, a empresa mais conhecida por essas telinhas de elevadores é a Elemidia - responsável por cerca de 17 mil telas espalhadas por 54 cidades no Brasil. Atualmente a empresa fala com mais de 20 milhões de pessoas por semana.

"Em vez de peça de papéis, cartaz ou lonas, usamos telas conectadas à internet. Diferente da internet, que é one to one e a pessoa decide o que vai ver, no DOOH temos um desafio maior. A gente entrega uma programação para o usuário e temos que torná-la a melhor possível para impactar o maior número de pessoas naquele momento", disse Lucio Schneider, diretor de marketing da Elemidia.

O DOOH é o terceiro meio de investimento em publicidade ficando atrás apenas da TV aberta e da internet. No ano passado, o DOOH superou a TV por assinatura e a expectativa é que continue crescendo a passos largos, se tornando uma boa opção aos anunciantes.

Como funciona?

Os conteúdos apresentados nas telas são divididos em duas frentes: conteúdo informativo proveniente de parceiros e publicidade dos clientes. Assim como na TV, o objetivo da Elemidia é atrair os olhos do público às telas e, entre um conteúdo e outro, apresentar a publicidade de seus clientes.

Atualmente eles contam com mais de 100 parceiros de conteúdo internacional, nacional e regional, e uma tecnologia inteligente o suficiente para mostrar os conteúdos e publicidades certas para cada tipo de público.

"Um prédio comercial no bairro de Pinheiros [em São Paulo] tem um público diferente de um do bairro de Santana. Assim como um shopping é diferente de um prédio residencial. Em cada lugar selecionamos os conteúdos que vão aparecer na tela. Nós destinamos às telas somente o que é relevante e vai chamar atenção do público local", explicou.

Publicidade

Como em toda mídia, a conta é paga pela publicidade. Clientes dos mais variados segmentos, pagam para que suas propagandas apareçam nas telas da Elemidia no meio de demais conteúdos.

Lucio diz que os usuário gostam de ver publicidade e descobrir coisas nas telinhas. Segundo um estudo da empresa, 80% do público curte as propagandas apresentadas e a atenção às telas chega até 95%. Um prato cheio para o anunciante.

"Para cada briefing de campanha publicitária existe um caminho a ser seguido. Tem campanhas que precisam aparecer para o máximo de pontos da Elemidia. Tem outras que segmentamos as telas por bairro, prédio, estimativa de visitantes, perfil do público e etc. Temos grande capacidade pra fazer tanto para campanhas de massa quanto segmentadas. Ao longo destes 15 anos nos especializamos muito nas segmentações", disse.

Informação

Já os conteúdos informativos, provenientes dos parceiros, passam por uma curadoria de jornalistas contratados pela Elemidia. "Os parceiros jogam na nossa plataforma seus conteúdos [notícias, matérias, artigos e etc…] e lá dentro fazemos a curadoria para saber o que vai para onde", revela.

Tecnologia

Todas as plataformas foram desenvolvidas dentro da Elemidia e criadas para funcionarem como uma interface entre a empresa, os parceiros e os clientes. Enquanro os parceiros podem inserir conteúdos em diversos formatos (texto, vídeo, foto), os clientes podem enviar suas vinhetas prontas ou modificar suas peças por lá.

"Por exemplo, existem campanhas que mudam conforme a temperatura do momento e eu tenho capacidade tecnológica de fazer isso de forma dinâmica e inteligente. Com a 99 [app de táxis e caronas], eu consigo informar em cada local quanto minutos vai demorar um carro. Nesse quesito, o DOOH se assemelha muito a internet", disse.

Mídia programática

Na Mídia Programática, a contratação do espaço para publicidade é feita de forma bem diferente. A compra de mídia acontece via software, em um leilão em tempo real, sem contato com a empresa de mídia em questão. Até então, a Elemidia não trabalhava desta forma e, portanto, deixava de atender clientes que atualmente só trabalham com programática.

Mas há poucos meses, a empresa entrou para esse novo mundo e já tem colhido bons resultados. "A empresa passou a oferecer essa possibilidade há pouco tempo, mas clientes como Itaú e Santander já estão usufruindo da novidade. Na internet, a Mídia Programática está com tudo. Agora muitos players que compravam inventários [número de anúncios ou a quantidade de espaço publicitário que uma mídia tem disponível para venda a um anunciante] na web também podem comprar da Elemidia", finalizou. Vale lembrar que a Elemidia ainda não trabalha com leilão online.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.