AMD tem 40% de fatia do mercado de processadores pela primeira vez em 14 anos

Por Rafael Arbulu | 02 de Janeiro de 2020 às 11h15
AMD
Tudo sobre

AMD

Saiba tudo sobre AMD

Ver mais

A eterna guerra entre a AMD e a Intel está atingindo patamares bem quentes, já que a primeira vem reduzindo consideravelmente a sua distância em relação à segunda. Segundo um levantamento da empresa de benchmark Passmark, pela primeira vez em 14 anos a AMD atingiu a marca de 40% de market share (participação de mercado), causando desconforto na até então hegemônica Intel, que apesar de ainda liderar o setor, vem enxergando sua vantagem reduzir gradualmente.

O relatório da Passmark não menciona isso diretamente, mas já é de conhecimento da comunidade especializada que a AMD vem fazendo muito sucesso desde o lançamento da linha de processadores Ryzen 3000, que trouxeram uma espécie de ressurgência da marca. Além disso, a mesma AMD inaugurou uma política de preços mais competitiva, aliando produtos novos a um melhor custo-benefício.

Em setembro, a própria Intel admitiu, ainda que não expressamente, estar perdendo espaço para a AMD. Na ocasião, o vice-presidente e gerente geral da divisão de plataformas em cloud e tecnologia da empresa, Jason Grebe, disse que devido a problemas de fornecimento nos últimos 12 meses, a Intel foi forçada a deixar de lado o setor de computadores pessoais de entrada — uma área onde a AMD cresceu exponencialmente.

A linha Ryzen 3000 de processadores da AMD foi a principal responsável pelo crescimento da empresa, que atingiu 40% do market share segundo recente levantamento (Imagem: Divulgação/AMD)

Apesar da redução dessa distância entre primeiro e segundo lugares, a Intel ainda detém algumas vantagens: a primeira é a de que, apesar dos processadores da empresa ainda serem criados dentro de uma tecnologia já ultrapassada (a Intel usa litografia de 14 nanômetros, frente aos processadores de 7 nanômetros da AMD), seus processadores ainda rodam em um clock mais veloz, o que faz da Intel a melhor opção para, por exemplo, máquinas voltadas a jogos no PC.

Fora isso, é importante citar que os números da Passmark não são absolutos, haja vista que o relatório só leva em conta computadores pessoais onde o software de benchmark da empresa esteja instalado. Embora a aplicação em si seja extremamente popular, ela só está disponível para máquinas equipadas com Windows – e a análise considerou apenas processadores com arquitetura x86, especificamente excluindo outras fabricantes e se concentrando exclusivamente na Intel e na AMD. Em outras palavras, os resultados podem variar.

Isso é suficiente para conter o avanço da AMD? Provavelmente não. Dada a evolução que a empresa vem apresentando no último ano e meio, é natural vermos um crescimento mais expoente para ela. Assim sendo, é melhor que as outras empresas do setor comecem a se mexer.

Sua vez, Intel.

Fonte: Techradar (1) (2)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.