Chrome vai liberar controle de áudio e vídeo por botões multimídia do teclado

Por Felipe Demartini | 11 de Fevereiro de 2019 às 12h24

O Google Chrome vai ganhar o bem-vindo recurso de controle de áudio a partir de botões multimídia do teclado. A funcionalidade, que até então está disponível apenas em players de mídia dedicados, deve aparecer em uma atualização futura do navegador, com funções como “play”, “pause” e também as teclas de passar para a próxima música ou retornar funcionando normalmente.

A novidade vai funcionar até mesmo quando isso estiver acontecendo em segundo plano. Caso o usuário ouça música pelo YouTube ou outro serviço de streaming e navegue em outra aba, ou até mesmo em um aplicativo diferente, os atalhos do teclado ainda assim poderão ser usados para controlar a reprodução do áudio, uma mão na roda, por exemplo, para os momentos em que a música precisa parar de repente. O mesmo também vai valer para vídeos.

Ao divulgar a adição, a Google fez questão de enaltecer o fato de que o Chrome será o primeiro navegador com suporte às teclas multimídia. A mágica vai acontecer por meio da Media Session API, uma interface voltada justamente para o controle de mídia e uso de teclas de atalho no navegador.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

De acordo com a Google, a novidade chegará junto com a versão 73 do Chrome, com lançamento marcado para o mês que vem. Todos os usuários das versões do navegador para macOS, Windows e Chrome OS terão acesso ao recurso, enquanto aqueles que usam Linux deverão esperar mais um pouco — para estes, o suporte está sendo desenvolvido, mas ainda não tem data para sair.

Uma página de testes, inclusive, já está no ar, na qual é possível observar como o recurso funciona. Entretanto, somente usuários da versão Beta do Chrome 73 ou das edições Canary poderão utilizar a novidade. A ideia é justamente esta: colocar a novidade à prova em uma situação de utilização real para garantir que tudo esteja funcionando normalmente antes da liberação para todo o público.

Fonte: ZDNet

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.