Um ano após negociação, Apple muda usuários do Shazam para servidor próprio

Por Wagner Wakka | 26 de Outubro de 2018 às 07h39
Tudo sobre

Shazam

Saiba tudo sobre Shazam

Ver mais

A Apple comprou o serviço de reconhecimento de músicas Shazam há quase um ano e nesta semana anunciou oficialmente aos usuários sobre a mudança. A demora tem a ver com a demora na liberação da negociação pelas entidades reguladoras, que só em setembro deste ano aprovaram a aquisição. Com isso, a empresa passou a notificar os usuários de que o app agora faz parte da Apple e segue a suas políticas de privacidade.

O aviso informa: “O Shazam está se mudando para Apple. Se você criou uma conta no Shazam para compartilhar seus Shazams entre aparelhos, todos seus dados serão movidos para Apple e serão gerenciados de acordo com as políticas de segurança da Apple”.

Apple precisa de aprovação de usuários para mudança (Foto: Divulgação/Shazam)

Caso o usuário não queria transferir suas informações, sua única opção é deletar a conta. Com isso, tudo ligado àquele perfil será automaticamente apagado e desvinculado de seus dados pessoais.

“Assim que o pedido for autenticado, iremos remover a conta e apagar os dados pessoais associados ao Shazam, incluindo o endereço de e-mail e, no caso de ter iniciado sessão com o Facebook, os registos do ID do Facebook e quaisquer dados pessoais partilhados conosco através da plataforma do Facebook. Os Shazams na aplicação não serão apagados. No entanto, não serão sincronizados entre dispositivos e não poderão ser recuperados se o usuário reinstalar o Shazam. Se continuar a utilizar o Shazam sem uma conta, os seus dados do Shazam não serão associados a si”, informa o site oficial em português de Portugal.

Outra mudança é que, sob o guarda-chuva da Apple, embora o programa continue como um app independente, agora não será mais possível sincronizar entre aparelhos, exatamente por conta de o Shazam não ter mais uma base de dados própria.

A empresa também informou que, a partir desta mudança, cada vez mais o Shazam deve ser vinculado ao Apple Music. Embora a companhia não informe isso, é bastante provável que o reconhecimento de música passe a ser uma nova opção já nativa do app da Maçã.

A Apple comprou o Shazam em dezembro de 2017 por uma negociação estimada na casa dos US$ 400 milhões.

Fonte: Shazam

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.