Snapchat deve ter faturamento anual de US$ 3 bilhões até 2019

Por Redação | 27 de Março de 2017 às 09h09

Uma análise da consultoria do mercado publicitário Emarketer prevê que o Snapchat deve atingir um faturamento anual de US$ 3 bilhões ao ano até 2019. O total se refere à renda com propagandas em uma das redes sociais mais popularidades da atualidade e coloca o serviço à frente de outros grandes nomes desse segmento, como Twitter, Yahoo e AOL.

O motivo, como sempre, é a predominância do Snapchat junto a um público jovem, com 20 anos de idade ou menos, faixa etária que nem mesmo o todo-poderoso Facebook foi capaz de alcançar. Os números da Emarketer colocam, inclusive, a rede social como uma ameaça à atual fatia que a empresa de Mark Zuckerberg e o Google possuem desse mercado, que hoje é de cerca de 58% de todo o volume de publicidade online veiculado no mundo.

Para os analistas, a ascensão do Snapchat também chega como uma boa notícia para grandes investidores desse mercado, muitos deles insatisfeitos com a forma controladora como as duas gigantes lidam com a publicidade online. Ao permitir um contato mais direto com o público e também um controle maior daquilo que é veiculado, a rede social do fantasminha acaba se tornando uma alternativa cada vez mais interessante e, acima de tudo, eficaz.

Ajuda, também, o fato de que os citados Yahoo e Twitter encontram-se com problemas que não são novidade para ninguém. Após um processo atribulado de venda e uma mudança em seu time de diretores, o Yahoo vem tendo quedas de faturamento publicitário que já o tiraram do posto de principal nome do setor após o faturamento recorde de US$ 3,32 bilhões obtido em 2015. Já o Twitter permanece na casa do US$ 1,1 bilhão, após ver queda nos últimos anos.

A notícia é boa também para o CEO Evan Spiegel e outros controladores da companhia. Após uma grandiosa abertura de capital, o fundador do Snapchat se tornou o bilionário mais jovem do mundo, enquanto via suas ações terem um crescimento de mais de US$ 9, levantando US$ 3,4 bilhões no total. Tudo isso após uma única semana de pregão.

A única ressalva feita pelo relatório da Emarketer se relaciona ao envelhecimento do Snapchat, na medida em que outras redes sociais, como o Instagram e o próprio Facebook, lançam funções bastante semelhantes às do fantasminha. O objetivo final, claro, é angariar os usuários mais jovens que, na medida em que avançam em idade, passam também por mudanças de interesse, que podem levá-los à concorrência. A consultoria, entretanto, aposta na capacidade da rede social de se reinventar justamente para evitar esse êxodo.

Fonte: The Guardian

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.